Política

Vereadores aprovam taxa do lixo e revoltam moradores de Ribas do Rio Pardo

Conforme o projeto, a tarifa terá valor mensal de R$ 3 a R$ 16

Aliny Mary Dias Publicado em 22/11/2017, às 19h38

None

Conforme o projeto, a tarifa terá valor mensal de R$ 3 a R$ 16

Projeto de lei proposto pela Prefeitura de Ribas do Rio Pardo, distante 102 quilômetros da Capital, e que cria a taxa do lixo na cidade foi aprovado por vereadores em sessão desta terça-feira (21). A criação do novo tributo revoltou muitos moradores e gerou reação de vereadores.

Dos 11 vereadores da cidade, cinco votaram a favor do projeto: Lourenço da Silva (PR), Sônia Passos (PSDB), Nayara Pereira (PSB), Paulo Silva (PR) e Paulo Machado (PMDB). Outros quatro foram contra a medida, mas mesmo assim o projeto foi aprovado.

Moradores da cidade entraram em contato com o Jornal Midiamax e se dizem revoltados com a criação da nova taxa, que deve começar a ser cobrada em 2018. Para calcular o valor que cada morador terá de pagar ao município, será levado em conta a área construída de cada imóvel. Conforme o projeto, a tarifa terá valor mensal de R$ 3 a R$ 16.

Depois das reclamações de moradores da cidade, principalmente por redes sociais, a vereadora Sônia, que votou a favor da criação da taxa, divulgou áudio em que dá mais detalhes sobre o projeto.

Segundo ela, o projeto de lei era discutido desde 2014, época de maior discussão da Lei dos Resíduos Sólidos, que previa obrigar municípios a acabarem com lixões e instituírem aterros sanitários. Atualmente, após prorrogações, os prazos finais começam no ano que vem para alguns municípios.

Vereadores aprovam taxa do lixo e revoltam moradores de Ribas do Rio Pardo

A análise do projeto por parte dos vereadores não aconteceu e mais uma vez o projeto foi colocado em pauta no ano passado, em setembro. Novamente retirado, o projeto só foi votado nesta terça-feira.

A vereadora defende que se a coleta de lixo, que será custeada com a tarifa paga pelos moradores, não for feita corretamente “eu sou a primeira a abrir uma CPI”, disse. 

Jornal Midiamax