Política

Sob protesto, Câmara aprova reajustes de até 36% para servidores da saúde

Maior aumento foi para os enfermeiros, que também farão 30 horas

Ludyney Moura Publicado em 13/07/2017, às 14h20

None

Maior aumento foi para os enfermeiros, que também farão 30 horas

Na última sessão ordinária antes do recesso parlamentar, os vereadores de Campo Grande aprovaram quatro projetos que beneficiam servidores municipais lotados na Sesau (Secretaria Municipal de Saúde)

O maior reajuste, após reuniões entre representantes do município e da categoria, foi para os enfermeiros, que receberão reajuste de 36,42%. O salário base passa R$ 2.067.00 para R$ 2.820,00.Sob protesto, Câmara aprova reajustes de até 36% para servidores da saúde

A Câmara também aprovou, em regime de urgência, um projeto de lei que reduziu a jornada de trabalho dos enfermeiros de 40 horas para 30 horas semanais. O vereador Eduardo Romero (REDE) disse que Campo Grande está na vanguarda na defesa da categoria.

No caso dos médicos, que chegaram a entrar em greve, o reajuste foi de 27%, o salário base da categoria saltou de R$ 2.516,72 para R$ 3.196,61.

O reajuste para os médicos veterinários será de 31,16% no salário base, passando de R$ 5.033,00 para R$ 6.601,00 para jornada de 40 horas semanais. Este foi o mesmo percentual para os odontólogos, para quem faz 20 horas passou R$ 2.516,00 para R$ 3.300,00, e para os que fazem 40 horas passou de R$ 5.033 para R$ 6.601,00.

A votação aconteceu sob protesto de três categorias, os administrativos da Sesau, técnicos de radiologia e auxiliares bucais, que ainda estão em negociação com a Prefeitura, e só terão definição na volta do recesso, marcada pra 1º de agosto.

Todos os projetos foram aprovados por 26 favoráveis e nenhum contra. Apenas os vereadores João Rocha e Delegado Wellington, ambos do PSDB, não compareceram à sessão. O primeiro por questões de enfermidade na família. 

Jornal Midiamax