Política

Se Tavares faltar à prestação de contas na AL pode sofrer sanções, diz Siufi

Ato irá ocorrer nesta sexta-feira, às 14h, na Assembleia

Midiamax Publicado em 04/05/2017, às 15h57

None
siufi.jpg

Ato irá ocorrer nesta sexta-feira, às 14h, na Assembleia

Será realizado nesta sexta-feira (5), a prestação de contas da área da Saúde para a Assembleia Legislativa. Nesta, o presidente da Comissão de Saúde da Casa é o deputado estadual Paulo Siufi (PMDB), que se mostrou indignado nesta manhã de quinta-feira (4), com a informação de que o secretário de Saúde do Estado, Nelson Tavares não irá comparecer. O parlamentar ressaltou que caso ele não compareça de fato, será feito uma convocação e ele poderá sofrer sanções.

Siufi explicou que o ofício fazendo o convite ao secretário foi feito a vários dias. “Até onde eu sei, esta prestação de contas é comum, ocorre de quatro a quatro meses e não vejo desculpa para ele não estar presente. Temos um regimento e vejo que ele tem que vir e prestar contas ao legislativo”.

De acordo com o deputado, a assessoria de Tavares informou que ele não iria poder comparecer. “Disseram para minha assessoria eu ele não terá como vir e informaram somente que virá um tal de Alcides que eu nem sei quem é. Se ele não vir mesmo, vamos enviar uma convocação e ele poderá sofres sanções”.

Peralta é o superintendente geral de administração e finanças do Estado, Maurício Rodrigues Peralta.

Também de acordo com Siufi, a ideia é saber como está sendo investida toda a verba da saúde, assim como a distribuição em todos os municípios e, quais os resultados alcançados. “Queremos tirar todas as dúvidas e saber tudo sobre a aplicação do dinheiro em uma área tão importante para todos”.

A prestação de contas é feita de quatro em quatro meses e esta é referente aos últimos quatro meses de 2016. A mesma será realizada às 14h, na Assembleia Legislativa. O ato é aberto ao público e deve contar com a presença de outras autoridades ligadas ao setor.

A Comissão de Saúde da Casa de Leis é formada, além e Siufi, por George Takimoto (PDT), Mara Caseiro (PSDB), Feliep Orro (PSDB) e Cabo ALmi (PT).

Jornal Midiamax