Rejeição a governo Temer cresce e 85% pedem eleições diretas já

Rejeição a presidente chegou a 61%
| 30/04/2017
- 18:03
Rejeição a governo Temer cresce e 85% pedem eleições diretas já

Rejeição a presidente chegou a 61%

A impopularidade do governo do presidente (PMDB) cresceu desde a última pesquisa do instituto Datafolha divulgada. Na pesquisa divulgada neste domingo (30) pelo instituto, Temer é considerado péssimo ou ruim por 61% dos entrevistados. 28% o consideram regular e apenas 9% bom ou ótimo.

Os índices de rejeição do presidente são comparáveis aos da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) na época em que sofreu o impeachment, em 2016: a petista foi retirada do posto com uma rejeição de 63%, e aprovação de 13%.

Fernando Collor de Mello, ao sofrer o impeachment em 1992, também tinha uma taxa de aprovação igual a de Temer: 9% consideravam o presidente bom ou ótimo na época.

Com o trâmite no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) do processo de cassação da chapa Dilma-Temer, o Datafolha questionou os entrevistados sobre suas preferências caso o presidente tenha seu mandato cassado sob acusação de abuso do poder econômico.

Pela Constituição, caso o julgamento da chapa em maio afaste o presidente, o Congresso Nacional deverá eleger um novo presidente entre os parlamentares.

Apenas 10% da população ouvida apoia a Constituição. Outros 85% consideram que o Congresso deveria aprovar uma mudança constitucional permitindo novas eleições diretas já, e 5% não sabem o que deveria ser feito.

A pesquisa foi feita entre a quarta (26) e quinta-feira (27) dessa semana, um dia antes da greve geral contra as reformas de Temer. Foram ouvidas 2871 pessoas em 172 municípios, com uma margem de erro de 2 pontos.

(com supervisão de Ludyney Moura)

Veja também

Partido ainda não conseguiu nomes para concorrer a deputado federal

Últimas notícias