Política

Reinaldo diz que não romperá contratos da Lama Asfáltica antes de julgamento

JBS mantém isenções fiscais em MS

Evelin Cáceres Publicado em 11/05/2017, às 14h16

None

JBS mantém isenções fiscais em MS

Governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), preferiu adotar a cautela ao comentar a quarta fase da Operação Lama Asfáltica nesta quinta-feira (11) e afirmou que somente romperá contratos com as empresas citadas após o julgamento da investigação realizada pela Polícia Federal, Ministério da Transparência (Controladoria-Geral da União) e Receita Federal.Reinaldo diz que não romperá contratos da Lama Asfáltica antes de julgamento

Nesta nova fase, aparecem nas investigações a empresa JBS, que mantém isenção fiscal no Estado, ICE Cartões, Águas Guariroba e outras. “Seria prematuro, porque se fizer um rompimento estará julgando que foi feito algo errado. Uma condenação sumária sem dar direito a defesa e contraditório. Não dá para fazer corte de algum incentivo ou rompimento de algum contrato só pela investigação. Se, comprovadamente, houve algum delito ou desvio você toma atitude no final do rito processual”, comentou.

Reinaldo afirmou que o governo acompanha as investigações. “A gente espera que se aprofunde e tenha sua conclusão e o que foi desviado possa retornar aos cofres sul-mato-grossenses. A gente já vem acompanhando porque muitas dessas [empresas] tinham sido feitas citações em etapas anteriores, não é algo novo. Temos tranquilidade contra aquilo que nós realizamos no mandato pós-2015 e alguns contratos estavam vigentes, outros estavam realizados por processo licitatório pós início do nosso governo. Temos muita tranquilidade no que a gente está fazendo, dos procedimentos”, informou.

O governador também preferiu não se ‘empolgar’ com a operação em relação às eleições. “Acho que não  necessariamente  [fortalece]. Eleição quem decide é o povo. Estamos procurando fazer trabalho responsável, transparente e governo que faz mesmo na dificuldade. O momento da questão política, da nossa parte, vai começar pós-carnaval de 2018. Até lá essa pauta política nem está dentro das nossas discussões porque estamos focados em manter o estado cumpridor das obrigações pagando salário e fornecedores em dia, fazendo investimentos e trazendo eventos para divulgar Mato Grosso do Sul. A partir do ano que vem teremos uma pauta política para discutir com os aliados sobre possíveis ações”. 

Jornal Midiamax