Política

Projeto prevê ações de combate ao machismo nas escolas estaduais de MS

Matéria aguardar ser distribuída na CCJ

Midiamax Publicado em 06/03/2017, às 12h30

Deputado Pedro Kemp concorda com o adiamento das eleições. (Divulgação)
Deputado Pedro Kemp concorda com o adiamento das eleições. (Divulgação) - Deputado Pedro Kemp concorda com o adiamento das eleições. (Divulgação)

Matéria aguardar ser distribuída na CCJ

Ensinar as crianças desde as primeiras séries das escolas de como se deve respeitar e tratar as mulheres e combater o machismo. Isso é o que prevê um projeto de Lei apresentado na Assembleia Legislativa.

A ideia, de autoria do deputado estadual Pedro Kemp (PT), é que sejam realizadas ações para valorização das mulheres e combate ao machismo na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul.

Segundo o autor, este é um assunto que deve ser tratado desde os primeiros anos de escola. “Temos que pensar em ações que possam ensinar desde pequeno que o machismo é uma atitude ruim”.

Kemp emendou “os adultos, quando se comportam desta forma, é por que já foi impregnado em seu dia a dia, o que é preciso trabalhar para eliminar, mas as crianças ainda não tem noção e se receberem orientações corretas, irão crescer com pensamentos bem opostos dos atuais”.

De acordo com o texto da proposta, é preciso realizar capacitações da equipe pedagógica e dos demais trabalhadores em educação. De modo geral, se o projeto for aprovado, será feita promoção de campanhas educativas que coíbam a prática de machismo e atos de agressão, disciminação, humilhação, constrangimento ou violência contra as mulheres.

Também está previsto a realização de debates e reflexões sobre o papal historicamente destinado ás mulheres que estimulem sua liberdade e equidade, além de integração, tradicionais ou digitais.

De acordo com a justificativa da matéria, a apresentação do projeto foi uma indicação das militantes do movimento social “Marcha Mundial de Mulheres”, elas passaram a informação para o autor que a escola continua sendo uma instituição social importante para formação de uma “moral coletiva” e poderia contribuir para que o problema do amchismo seja amenizado.

“A gente percebe que mesmo com a Lei Maria da Penha, delegacias para mulheres e diversas frente de defesa ao machismo, muitas pessoas do sexo feminino sofre agressões frequentes e passam por situação de preconceito. Por isso temos que fazer com que a crianças já iniciem as trajetória não compartilhando de ideia que levam ao machismo e automaticamente a ações uins”, concluiu o parlamentar.

O projeto de Lei foi apresentado na última semana de fevereiro e agora aguarda ser distribuído na CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), sendo definido seu relator para após parecer ser levado ao plenário para votação.

Se for aprovado segue para governador sancionar. Vale ressaltar que no próximo dia 08 é celebrado o “Dia Internacional da Mulher”.

Jornal Midiamax