Política

Procuradores da Lava-Jato pedem punição mais dura contra Eduardo Cunha

Juristas enviaram recurso a juiz Sérgio Moro

Joaquim Padilha Publicado em 09/05/2017, às 10h48

None
eduardo_cunha.jpg

Juristas enviaram recurso a juiz Sérgio Moro

Onze dos procuradores da Lava-Jato pediram ao juiz Sérgio Moro que penalize o ex-presidente Eduardo Cunha (PMDB), que cumpre 15 anos e quatro meses de prisão desde outubro do ano passado, por mais dois crimes de lavagem de dinheiro e evasão de dívidas.

Os procuradores ainda querem que Cunha restitua o equivalente a 77,5 milhões de dólares (R$ 247,5 milhões em cotação atual) aos cofres públicos, por causa da evasão de dívidas, segundo a revista Época.

Para os juristas, a sentença de 1,5 milhão de dólares aplicada a Cunha foi muito branda. “A Petrobras sofreu um prejuízo de cerca de US$ 77,5 milhões, e não apenas US$ 1,5 milhão como considerado na sentença” destacam os procuradores.

O recurso da Lava Jato volta-se contra a absolvição da lavagem de dinheiro em relação à transferência dos US$ 165 milhões a uma conta em noma Netherton Investmentes, realizada em agosto de 2014 por Cunha.

Os procuradores pretendem revisar “aspectos da dosimetria da pena aplicada ao apelado” e “aspectos da reparação do dano” em relação às penas aplicadas pelo juiz Sérgio Moro.

O recurso fala também que o ex-presidente da Câmara não apenas cometeu dano material à Petrobras, mas também dano moral, desmoralizando a imagem da empresa em frente a “investidores e acionistas”, ao “mercado financeiro” e a toda a sociedade brasileira.

Quanto aos crimes de manutenção de depósitos no exterior e lavagem de dinheiro, segundo sustenta a Procuradoria, “a vítima é a própria União Federal, bem jurídico difuso”.

(com supervisão de Evelin Cáceres)

Jornal Midiamax