Política

PDT mantém Schmidt e Dagoberto na direção e dá cargo de honra para Odilon

Plano é eleger 6 deputados estaduais e 2 federais em 2018

Ludyney Moura Publicado em 01/12/2017, às 13h19

None

Plano é eleger 6 deputados estaduais e 2 federais em 2018

O diretório regional do PDT definiu os nomes para comandar o partido em 2018, ano em que a legenda tem pretensões de eleger o governador do Estado e aumentar sua representatividade na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados.

“Vamos ter uma chapa forte e a projeção é de que vamos fazer seis deputados estaduais e dois deputados federais”, afirmou o deputado federal Dagoberto Nogueira.PDT mantém Schmidt e Dagoberto na direção e dá cargo de honra para Odilon

Dagoberto deixa a presidência do diretório para João Leite Schimidt, e será o 1º-vice. O ex-deputado federal Antônio Carlos Biffi será o 2º-vice-presidente. O ex-juiz federal Odilon de Oliveira será o ‘presidente de honra’ do partido, e também pré-candidato ao governo estadual.

Caberá a Schimidt a articulação política do partido com vistas ao pleito de 2018. Apesar de considerar todos os partidos importantes, este é ainda não o momento de buscar alianças. O novo presidente também ressaltou que o discurso de combate à corrupção deve ser um dos motes da legenda.

Odilon destacou que como pré-candidato não quer se ‘aliar a corruptos’. “Corrupto para mim são aqueles contra os quais existem provas robustas, e o povo sabe bem o nome deles”, disse o ex-juiz.

Expulsão

De saída da presidência do diretório, Dagoberto destacou que é preciso respeitar todos os tramites no conselho de ética da legenda sobre o pedido de expulsão do deputado estadual George Takimoto.

O deputado federal disse que o correligionário desrespeitou uma recomendação do partido, e se for expulso o PDT de Mato Grosso do Sul já anunciou que vai requisitar na Justiça seu mandato na Assembleia. 

Jornal Midiamax