Política

Para resolver impasse com terceirizados, Marquinhos vai ao TRT

Caso está sendo discutido com juiz e desembargador

Aliny Mary Dias Publicado em 08/08/2017, às 19h52

None

Caso está sendo discutido com juiz e desembargador

O prefeito Marquinhos Trad se reuniu com o presidente do TRT-MS (Tribunal Regional do Trabalho), desembargador João de Deus, nesta terça-feira (8) para discutir o pagamento de salário do mês de julho e verbas rescisórias a ex-funcionários das instituições Omep e Seleta. O montante soma R$ 25 milhões e a prefeitura quer parcelar as rescisões e quitar o salário de julho.

A reunião em busca de solucionar o problema que afeta 2,5 mil pessoas ocorreu nesta tarde entre o prefeito, o presidente do TRT, comissão de ex-funcionários e o procurador jurídico do município, Alexandre Ávalos.

A proposta da prefeitura é quitar o salário de julho que ainda não foi pago aos ex-funcionários fazendo com que as carteiras de trabalho sejam entregues e o FGTS possa ser sacado. Os valores das rescisões, no entanto, seriam parcelados de acordo com a situação econômica do município.

Para resolver impasse com terceirizados, Marquinhos vai ao TRT

A expectativa é que haja autorização judicial para o parcelamento das verbas restantes que, por lei, devem ser pagas em até 10 dias após a demissão. 

 “A prefeitura hoje não dispõe desse valor para pagar à vista. O que nos propomos é pagar o salário do mês trabalhado à vista e para aqueles que trabalharam dez, doze dias, a gente já daria um pouco da parcela da rescisão para que todos saiam com uma quantia razoável de dinheiro que caiba nos cofres do Município. Aí o restante, dependendo da arrecadação do Município, a gente vai quitando”, disse o prefeito ao final da primeira reunião. 

Jornal Midiamax