Política

Nove dias após assumir secretaria no governo Temer, Luíza pede demissão

Era da Cidadania e Diversidade Cultural

Jessica Benitez Publicado em 05/01/2017, às 20h55

None
luiza_0511_400x300_cmcg.jpg

Era da Cidadania e Diversidade Cultural

Depois de nove dias no governo do presidente da República Michel Temer (PMDB), a ex-vereadora Luíza Ribeiro (PPS) pediu demissão do cargo, conforme noticiou o jornal O Globo. Ela era secretária da Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura com salário de R$ 15,4 mil.

A legisladora, que cumpriu um mandato na Câmara Municipal de Campo Grande e não conseguiu se reeleger, nunca escondeu ser contra a entrada de Temer na presidência da República. Este era o discurso na Casa de Leis, nas redes sociais e nos protestos que participou.

À época da nomeação, o presidente estadual do PPS, Athayde Nery, disse que o ministro Roberto Freire acompanhou o trabalho da correligionária na Câmara. "A Luíza foi super competente e esse é o quadro que ele tem por lá. É importante para Mato Grosso do Sul sua nomeação, ela tem uma boa trajetória junto à nossa cultura e é uma boa aquisição para o Minc", afirmou.

A ocupante anterior do cargo de secretária da Cidadania, Renata Bittencourt, foi exonerada. Ela havia sido indicada pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, que deixou o cargo em novembro após conflitos com o então ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima.

Outro lado – Por meio das redes sociais, a ex-vereadora explicou a demissão. "Não tive como me desfazer de compromissos profissionais e pessoais que tenho em CG, pois teria que me transferir integralmente para Brasília onde cumpria expediente diário. Assim, preferi solicitar meu desligamento e não assumir as funções para as quais fui nomeada. Agradeci ao Ministro Roberto Freire pela indicação".

Matéria editada às 18h21 para acréscimo de informações

Jornal Midiamax