Política

MP investiga uso indevido de prédio da Prefeitura para clube de baile particular

Vereador terá que explicar ao MP sua participação.

Midiamax Publicado em 08/05/2017, às 12h55

None
baile1.jpg

Vereador terá que explicar ao MP sua participação.

O Ministério Público Estadual de Dourados está investigando o uso indevido de um prédio da Prefeitura de Dourados que estava funcionando desde 2010 como clube de baile particular cobrando ingresso e comercializando até estimulantes sexuais para os idosos, segundo a denúncia da comunidade local.

Em novembro do ano passado o promotor de Justiça Ricardo Rotunno da 16ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e Social de Dourados, abriu o Procedimento que instruiu o inquérito civil público instaurado para averiguar a suposta prática de apropriação indébita cometida por três pessoas que ocupavam irregularmente um imóvel da Prefeitura de Dourados que abrigava um extinto Clube de Mães na Rua Filinto Muller, ao lado do Centro de Educação Infantil Raio de Sol, no bairro Parque das Nações. Na época o promotor para embasar as investigações, pediu que o então prefeito Murilo Zauith (PSB) informasse via a Procuradoria Geral do Município (PGM) a situação jurídica do imóvel.

O promotor também determinou uma investigação sobre o possível tráfico de influência, envolvendo político ‘amigo dos invasores’ que teria colaborado na ocupação do espaço para ser usado com a finalidade de promover os chamados ‘bailões da terceira idade’.

No ultimo dia 19 de outubro de 2016 por determinação do prefeito Murilo Zauith, os donos do “clube de baile” entregaram o prédio para a Prefeitura. O Procedimento Preparatório da 16ª Promotoria do Patrimônio Público de Dourados pode ser desdobrado na instauração de um inquérito criminal para investigar eventual prática do crime de peculato, apropriação indébita do prédio público sem o consentimento da Prefeitura através de ato legislativo, além de tráfico de influência, pois além de ter apoio de politico ligado à família dos invasores, o imóvel foi usado indevidamente na obtenção de lucro.

São partes denunciadas na investigação Erotildes Pereira da Silva (vice-presidente da Associação de Moradores do Parque das Nações 1º Plano), seu marido Selvino Mendes e o sócio do clube de bailes Timóteo Benites, que segunda a denúncia, com a anuência do vereador Pedro Alves de Lima e do ex-prefeito Ari Valdecir Artuzi, desde 2010 se apossaram do imóvel de propriedade da Prefeitura Municipal de Dourados que funcionava como Núcleo de Assistência Social e Economia Solidária.

Os denunciados lucravam com atividades particulares no imóvel sem contrato de comodato ou termo de cessão de uso para utilidade pública. Em outubro de 2016 eles chegaram a reativar em seus nomes a diretoria de um Clube de Mães denominado “Luiza de Marilac” para solicitar a cedência do imóvel, mas por ausência de documentações junto à Prefeitura de Dourados, até o momento isso não foi possível. 

Jornal Midiamax