Política

Ministro chama Joaquim Barbosa de ‘negro de primeira linha’ e se desculpa

Barroso diz que declaração foi infeliz

Joaquim Padilha Publicado em 09/06/2017, às 11h17

None

Barroso diz que declaração foi infeliz

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Luís Barroso, pediu desculpas ao ex-presidente do Tribunal, Joaquim Barbosa, após tê-lo chamado de “negro de primeira linha”, em uma cerimônia de inauguração da foto de Barbosa na galeria de ex-presidentes da Corte.

Barroso disse que a declaração foi “infeliz”. “Gostaria de pedir desculpas às pessoas a quem possa ter ofendido ou magoado com essa afirmação infeliz. Gostaria de pedir desculpas, sobretudo, se, involuntária e inconscientementem tuver reforçado um estereótipo racista que passei a vida tentando combater e derrotar, disse o ministro.

Em justificativa à declaração, Barroso afirmou, logo no início da sessão de julgamentos do TSE desta quinta-feira (8), que havia tentado dizer que Joaquim Barbosa era de “primeira linha” por ter alcançado o topo da vida acadêmica, e reforçou o termo “negro” para destacar o rompimento do cerco de subalternidade conquistado pelo ex-ministro.

“Contudo, manifestei-me de um modo infeliz e utilizei a expressão ‘negro de primeira linha’. Não há brancos ou negros de primeira linha porque as pessoas são todas iguais em dignidade e direitos sendo merecedores do mesmo respeito e consideração”, completou Barroso.Ministro chama Joaquim Barbosa de 'negro de primeira linha' e se desculpa

A declaração, por completo, teria sido a seguindo: “A universidade (Uerj) teve o prazer e a honra de receber um professor negro, um negro de primeira linha vindo de um doutorado em Paris”.

Barroso também elogiou a atuação de Barbosa no julgamento do mensalão, e a possibilidade do ex-ministro se candidatar à Presidência.

(com supervisão de Evelin Cáceres)

Jornal Midiamax