Política

ICMS: frigoríficos acusam Reinaldo de retaliar JBS com ‘tiro no pé’ para setor em MS

Governador autorizou redução da alíquota de 12% para 7%

Ludyney Moura Publicado em 22/06/2017, às 16h15

None

Governador autorizou redução da alíquota de 12% para 7%

A decisão do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) de autorizar uma redução momentânea no ICMS do gado para negociações interestaduais de 12% para 7%, equiparando a Estados vizinhos como São Paulo e Mato Grosso, foi criticada pela entidade que representa o setor frigorífico em Mato Grosso do Sul.

“Isso é uma coisa que a gente nunca viu em governo algum. É um tiro no pé, comercial, social e economicamente falando para o Mato Grosso do Sul. Está exportando matéria prima e tirando condições das industrias (locais) de trabalhar. É um absurdo”, disparou o presidente da Assocarnes (Associação de Matadouros, Frigoríficos e Distribuidores de Carnes de Mato Grosso de Sul) João Alberto Dias.ICMS: frigoríficos acusam Reinaldo de retaliar JBS com ‘tiro no pé’ para setor em MS

Para o dirigente, a medida anunciada pelo governo é um ‘ato desesperado’ e ‘mal fundamentado’, uma tentativa de Reinaldo de retaliação à JBS, já que o tucano é um dos implicados na delação de Joesley e Wesley Batista, sobre o suposto esquema de pagamento de propina em troca de benefícios fiscais.

Dias pontou que a JBS responde hoje por cerca de 40% da aquisição de gado no Estado, e que apenas parte deste montante é paga a prazo para o produtor. O restante dos frigoríficos pagam à vista o pecuarista.

A Assocarnes também destaca que a matéria prima (gado) ofertada no Estado é compatível com número de unidades frigoríficas instaladas e em pleno funcionamento em Mato Grosso do Sul.

Retaliação

“O governador está tentando retaliar a JBS, mas vai prejudicar quem não tem nada a ver com a essa briga”, disse o presidente da Associação.

João Alberto pontua ainda que algumas empresas do setor podem ser prejudicados inclusive com a falta de matéria prima. Segundo ele, a decisão de Reinaldo é um ‘incremento’ à indústria frigorífica de outros Estados, inclusive pode beneficiar unidades da JBS de Estados vizinhos que podem adquirir o gado sul-mato-grossense a um valor menor do que o praticado dentro do Estado.

A Associação vai esperar a publicação da decisão anunciada pelo governo, de reduzir o ICMS do gado por 90 dias, a contar de 1º de julho, para então analisar possíveis providências contrárias à medida. 

Jornal Midiamax