Política

Ex-prefeito sugere que vereador também investigue Puccinelli na CPI da Seleta e Omep

Líder de Marquinhos quer instaurar investigação

Jessica Benitez Publicado em 05/01/2017, às 19h58

None
bernal_1_0.jpg

Líder de Marquinhos quer instaurar investigação

Sobre a possibilidade de o vereador Chiquinhos Telles (PSD) tentar instaurar CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar o destino de R$ 30 milhões suplementados pelo ex-prefeito Alcides Bernal (PP) para pagar os terceirizados da Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária e Omep (OrganizaçãoMundial Para Educação Pré-Escolar), o ex-gestor disse não ter nada a temer.

Sugeriu que o legislador chame também os responsáveis por firmar os convênios, os ex-chefes do Executivo André Puccinelli (PMDB), Nelsinho Trad (PTB) e até Gilmar Olarte (sem partido).

“Eu não tenho nada a temer e não tenho compromisso com coisa errada. Acho que ele (Chiquinho Telles) pode fazer o que quiser. Convocar a Seleta e a Omep. Mas pode aproveitar inclusive para explicar o rombo deixado na prefeitura pela organização criminosa da Coffee break”, disse Bernal citando a Operação Coffee Break.

“Chamar também quem firmou o convênio desde André, Nelsinho, Olarte, os fantasmas contratados pela Seleta e Omep e os promotores e magistrados que atuam no caso das entidades”, complementou. Chiquinho é líder de Marquinhos Trad (PSD) na Câmara Municipal.

De acordo com ele, a Casa de Leis autorizou Bernal a suplementar R$ 35 milhões, sendo que R$ 30 milhões seriam usados para pagar os salários e 13º dos terceirizados pelas entidades. Até o momento nenhum pagamento foi feito. 

Jornal Midiamax