Política

‘Estarei à disposição’, diz Marun após adiamento de posse como ministro

Adiamento seria para garantir votos na reforma da Previdência

Diego Alves Publicado em 23/11/2017, às 00h50

None

Adiamento seria para garantir votos na reforma da Previdência

“Eu me sinto deputado federal, como era e continuarei sendo, salvo se o presidente entender em contrário, se fizer o convite, estarei à disposição”, disse o deputado que também argumentou que seu nome tem tido apoio de deputados de vários partidos, entre eles o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Carlos Marun (PMDB) é cotado para assumir a Secretaria de Governo.'Estarei à disposição', diz Marun após adiamento de posse como ministro

O depoimento, segundo a Reuters, aconteceu após posse do deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) como ministro das Cidades nesta quarta-feira (22) em Brasília (DF). 

Após confirmar a escolha de Marun para a Secretaria de Governo e até publicar a posse no Twitter, o governo federal recuou da decisão. O post foi apagado e a Agência Brasil, do governo federal, publicou o ministro Antônio Imbassahy (PSDB-BA) permanece no cargo.

“Sou e serei um apoiador da reforma da Previdência. Obviamente não estou vinculando uma coisa à outra”, disse Marun. “Só fiquei feliz por saber que o boato da minha indicação fez a Bolsa subir e o dólar cair”, completou.

O adiamento da substituição do tucano Antonio Imbassahy por Marun na Secretaria de Governo seria para garantir votos do PSDB na nova versão da reforma da Previdência. 

Para assumir a pasta, a exigência segundo já noticiado, Marun terá que ficar no governo até o final de 2018 e não se candidatar a um cargo eletivo em outubro próximo. (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

Jornal Midiamax