Política

Esposa de ministro do TSE vai à delegacia e denuncia agressão física

Advogado diz que dona de casa pediu retratação

Joaquim Padilha Publicado em 24/06/2017, às 14h33

None

Advogado diz que dona de casa pediu retratação

O ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Admar Gonzaga, foi acusado de cometer violência doméstica contra sua esposa, Élida Souza Matos. A mulher registrou um boletim de ocorrência relatando ter sido agredida na madrugada desta sexta-feira (23), em uma delegacia de Brasília.

Policiais que receberam Élida informaram que a dona de casa, que mora com o esposo há dez anos, tinha um machucado na região do olho quando chegou à delegacia. Ela foi encaminhada para o IML (Instituto Médico-Legal), para exames.

Segundo o advogado de Gonzaga, Antônio Carlos de Almeida Castro, a esposa do ministro registrou o boletim de ocorrência, mas em seguida fez uma retratação, pedindo o arquivamento do caso. Ele nega existência de agressão física, e diz se tratar de uma “expasperação de ambos os lados”.

“Élida já foi à Delegacia e registrou uma retratação. A ocorrência foi feita no calor dos  acontecimentos e ela decidiu que queria apresentar imediatamente a retratação. O ministro Admar inclusive a acompanhou à delegacia”, afirmou.Esposa de ministro do TSE vai à delegacia e denuncia agressão física

Mesmo com a retratação da vítima, o juíz do caso é a única autoridade competente para admitir a retirada da queixa contra o acusado, conforme determina a Lei Maria da Penha. O caso será encaminhado ao STF (Supremo Tribunal Federal), já que o ministro tem foro privilegiado.

Admar Gonzaga foi nomeado para o cargo pelo presidente Michel Temer em março. No início deste mês, ele votou pela absolvição no julgamento em que o PSDB pedia ao TSE a cassação da chapa Dilma-Temer.

(com supervisão de Evelin Cáceres)

Jornal Midiamax