Política

‘Em cima do muro’, Mandetta deixa para partido decisão sobre Temer

Reunião da executiva acontece um dia antes de votação

Midiamax Publicado em 31/07/2017, às 13h01 - Atualizado em 17/07/2020, às 23h52

None

Reunião da executiva acontece um dia antes de votação

Luiz Henrique Mandetta (DEM) condicionou a decisão do o partido voto em plenário, na quarta-feira (2), que pode arquivar denúncia de corrupção passiva atribuída ao presidente Michel Temer (PMDB). ​O deputado federal ainda figura entre indecisos da bancada sul-mato-grossense.

“Sabemos de antemão que a oposição quer manter esse assunto indefinidamente. Vamos fazer uma queda de braço. Me comprometi com meu partido, e após reunião externo meu voto”, ressaltou o democrata, que pretende participar de encontro do partido, na tarde de amanhã, terça-feira (1º), em Brasília.

Cautela teria sido adotada a pedido de Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente do partido e da Câmara dos Deputados. Isso porque se aprovada a denúncia, o presidente fica afastado e Maia assume seu posto no decorrer das investigações sobre corrupção passiva.

Junto com Mandetta figuram como indecisos Elizeu Dionizio (PSDB), Geraldo Resende (PSDB) e Tereza Cristina (PSB). Na ala dos favoráveis ao afastamento de Temer estão Dagoberto Nogueira (PDT), Vander Loubet (PT) e Zeca (PT), enquanto Carlos Marun (PMDB) é contrário convicto à denúncia, que tem por base o acordo de delação premiada dos irmãos Wesley e Joesley Batista, donos da JBS. 

Jornal Midiamax