Política

‘É o Congresso que vai dizer’, diz Reinaldo sobre afastamento de Aécio

Governador não quis comentar sobre líder tucano

Evelin Cáceres Publicado em 16/10/2017, às 13h01

None

Governador não quis comentar sobre líder tucano

Sem entrar em detalhes, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) decidiu manter distância em relação ao afastamento do senador Aécio Neves, ex-líder tucano, em agenda pública nesta segunda-feira (16) na Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul).

Ao ser provocado a comentar sobre o afastamento de um dos maiores líderes tucanos do cargo no Legislativo, Reinaldo ponderou. “Isso é o Congresso que vai dizer. Ele é presidente licenciado do partido. O Supremo teve uma decisão que vocês acompanharam. Agora o Congresso deve referendar aquilo que eles já tinham previsto”.

Votação

A bancada do PT retirou o apoio e a Justiça de Brasília determinou que a votação será aberta, pressionando parlamentares do comando da Mesa do Senado, que já não descartam a possibilidade de adiar a sessão que decidirá sobre o afastamento do tucano, marcada para esta terça-feira.

Preocupados, aliados de Aécio avaliam que, com a votação aberta e sem a ajuda dos petistas, diminuem as chances de o tucano se salvar. A esperança desses parlamentares era que Aécio pudesse ter votos mesmo na oposição se a votação fosse secreta. Diante do cenário atual, a avaliação é que o placar será muito apertado, mas o senador ainda conseguirá sair vitorioso e retomar o mandato.

Jornal Midiamax