Política

Deputados federais negam articulação política para ‘tomar partido’ de Bernal

Tema foi tratado em reunião entre ex-prefeito e ex-governador

Midiamax Publicado em 04/09/2017, às 15h11

None

Tema foi tratado em reunião entre ex-prefeito e ex-governador

Elizeu Dionizio (PSDB) e Tereza Cristina (PSB) negaram articulação para tomar a direção do PP (Partido Progressista) em Mato Grosso do Sul. Rumor foi tratado, na semana passada, em reunião política entre o presidente regional da legenda e ex-prefeito de Campo Grande Alcides Bernal e o ex-governador André Puccinelli (PMDB).

“O Bernal está atrás de holofotes, ano passado saiu com essa história, aliás a mesma história. Sempre que ele quer aparecer coloca o Elizeu na conversa. Sigo trabalhando pelo meu Estado. Meu partido é o PSDB”, ressaltou o deputado federal tucano.

Tereza Cristina, por sua vez, assegurou por sua assessoria de imprensa não ter sido procurada ou mesmo tido diálogo com a direção da sigla estadual ou nacional “pleiteando o partido em Mato Grosso do Sul”.

De olho no partido

​Rumor foi tratado, na semana passada, durante encontro político entre Bernal e Puccinelli. O progressista apontou Elizeu, Tereza e Vander Loubet (PT) – que não se pronunciou até o fechamento – de articularem mudança a fim de retirá-lo da presidência regional do PP. 

“Ele (Puccinelli) disse que não sabia de nada disso, mas que com certeza o mundo político se movimenta muito e admitiu ter ouvido um ‘zumzumzum’ sobre a questão. Tereza Cristina estaria ‘sendo namorada’ pelo presidente Michel Temer, pelo Rodrigo Maia e com certeza também porque o PP faz parte da base de Temer que isso seria interessante. Então se você somar um mais um, dá dois”, ironizou Bernal.

Jornal Midiamax