Política

Deputado que tatuou ‘Temer’ no ombro admite que tatuagem era falsa

Deputado está envolvido em polêmica de "nudes" e assédio a jornalista

Joaquim Padilha Publicado em 10/08/2017, às 11h01

None

Deputado está envolvido em polêmica de “nudes” e assédio a jornalista

O deputado Wladimir Costa (SD), apoiador de Michel Temer (PMDB) que ficou conhecido recentemente por tatuar o nome do presidente, reconheceu agora que a tatuagem era falsa.

Tratava-se de um desenho do tipo hena, que some após alguns dias. Segundo Costa, a arte foi uma brincadeira para “zoar o pessoal da oposição”.

Costa fez a tatuagem poucos dias antes da votação da denúncia contra o presidente apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República). A votação encerrou com o arquivamento da denúncia.

Na sessão de votação da Câmara, Costa se envolveu em mais uma polêmica: o deputado foi flagrado pelo fotógrafo Lula Marques pedindo “nudes” pelo celular a uma garota.  Deputado que tatuou 'Temer' no ombro admite que tatuagem era falsa

Desde que Costa apareceu de camiseta regata em um evento mostrando a tatuagem, já se falava na possibilidade do desenho ser falso. Uma repórter chegou a ser assediada após perguntar se poderia ver a tatuagem. “Pra você, só [mostro] se for o corpo inteiro”, disse o deputado. 

Jornal Midiamax