Política

Deputado comunica que deixa a base governista a subsecretário de Reinaldo

Ele se declarou independente nesta terça

Midiamax Publicado em 09/05/2017, às 16h23

None
Foto: Vitor Chileno/ALMS

Ele se declarou independente nesta terça

Após um desentendimento dentro do plenário da Assembleia Legislativa nesta terça-feira (9), em que seu projeto que prevê estabelecer um piso para os farmacêuticos não foi votado, o deputado Paulo Siufi (PMDB) foi para a governadoria e falou com o subsecretário de relações institucionais do governo Alessandro Menezes. O parlamentar relatou ao Jornal Midiamax que foi agradecer pelo tempo que ficou na base do governo e confirmou que agora é independente dentro da Casa de Leis.

O parlamentar chegou a falar ainda em plenário que caso seu projeto não entrasse para votação sairia da base e como de fato não foi ele disse na saída “não faço mais parte da base do governo”.

“Fui até o governo para agradecer pelo tempo que fiquei no grupo e explicar tudo que aconteceu nesta terça. A partir desta data sou independente dentro da Casa. Vou votar conforme minhas convicções. Não sou da base e nem da oposição”, declarou Siufi após a volta da governadoria.

Ele relatou que conversou com Alessandro e pretende marcar um horário com o governador nesta quarta-feira (10). “Vou até o Reinaldo Azambuja por que tenho um respeito muito grande por ele e quero explicar tudo que aconteceu. O respeito que tenho a ele não estou recebendo da base na Assembleia, vejo que o grupo tem problemas e não é de hoje”.

Ao ser questionado se tem a possibilidade de mudar de ideia e reconsiderar a decisão, Siufi diz que não. “Tomei essa decisão sem consultar meu partido, que é base do governo, por minha livre vontade. Tenho lado. Não tem como ficar em uma base que não me respeita e não respeita meus projetos”.

“Se tem algum problema pessoal comigo não sei. Mas se for que resolva comigo. Desde o início ele [Beto Pereira] tem demonstrado algum problema comigo. O que ocorreu nesta terça prejudica a casa e a mim. Estamos aqui para legislar e a população gosta de transparência. Se não concorda com projeto que vote contra, mas coloca em apreciação”, finalizou.

Ao final da sessão, Beto, relator do projeto e presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, disse a reportagem que a matéria chegou na comissão no final da tarde dessa segunda e não teve tempo hábil para analisar.

Siufi rebateu e disse que o projeto entrou na casa mês passado e foi feito um acordo de lideranças para entrar na pauta nesta data como regime de urgência. “Inclusive com o aval do Beto e Rinaldo [Rinaldo Modesto, líder do governo na Casa]”, disse o parlamentar independente. 

Foto: Vitor Chileno/ALMS

Jornal Midiamax