Política

Decreto prevê autorização de moradores para realização de tapa-buraco

Decreto prevê espessura menor que anunciada por prefeito

Ludyney Moura Publicado em 09/01/2017, às 15h48

None
5317163d-931f-43e8-8129-98b34fff0d19.jpg

Decreto prevê espessura menor que anunciada por prefeito

A Prefeitura da Capital publicou no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) desta segunda-feira (9) uma Instrução Normativa sobre os serviços de tapa-buracos nas vias urbanas.

De acordo com a publicação, a partir de 2017, quando o município identificar a necessidade do serviço, o encarregado da equipe que for tapar o buraco deverá solicitar a presença de pelo menos dois moradores ou pessoas que trabalham ou estejam nas proximidades.

Os campo-grandenses que ‘fiscalizarem’ o serviço também precisarão se identificar e assinar um ‘termo de vistoria’. “Com o intuito de testemunhar a execução das ações”, diz o texto assinado pelo titular da Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transportes e Habitação), Rudi Fiorese.

A instrução também determina que a reposição da camada asfáltica de CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente) deverá ter espessura mínima de 3 centímetros, metade do que havia pedido o prefeito Marquinhos Trad (PSD).

Todavia, na mesma publicação há determinação para que o chamado ‘recorte das arestas’ tenha profundidade de 6 centímetros, como havia pedido Marquinhos.

As demais instruções podem ser conferidas na página 3 do Diogrande. 

Jornal Midiamax