Política

Com pedidos de impeachment de Reinaldo, deputados quase saem no tapa

Sessão chegou a ser suspensa para acalmar ânimos de petistas e tucanos

Ludyney Moura Publicado em 06/06/2017, às 13h48

None

Sessão chegou a ser suspensa para acalmar ânimos de petistas e tucanos

Representantes dos sindicatos que representam os cerca de 70 mil servidores estaduais lotaram o plenário da Assembleia na sessão desta terça-feira (6), para cobrar dos deputados apoio nas tratativas com o governo em busca de reajuste salarial, mas os protestos acabaram gerando confusão entre os parlamentares da base e da oposição.

Com cartazes com imagens de bois, nariz de palhaço e faixas contra o governo, os servidores gritavam ‘Muuu’ e ‘olha o boi’ cada vez que parlamentares da base usavam a palavra. Mas, quando começaram a cantar ‘boi da cara preta’, a deputada Mara Caseiro (PSDB) reagiu e acusou o PT de influenciar as manifestações. 

O deputado Pedro Kemp (PT) tomou as dores do partido e chegou a chamar a colega de ‘louca’, já que ela havia acusado o Partido dos Trabalhadores inclusive de financiar os protestos.

A discussão entre os deputados aumentou o volume dos protestos dos servidores que pediram o impeachment de Reinaldo Azambuja (PSDB). A sessão ficou suspensa por cerca de 7 minutos para que os ânimos se acalmassem.

“Não podemos permitir ouvir insultos por personagens do PT, se for assim vou falar de Aécio Neves e Michel Temer”, disse o líder da bancada petista, deputado João Grandão. Já Amarildo Cruz, também do PT, defendeu que o governo conceda ao menos a reposição salarial com reajuste da inflação dos últimos 12 meses.

Kemp ainda chegou a solicitar do governo valor da veiculação de peças publicitarias e notas fiscais sobre entrega de viaturas feitas recentemente pelo governo estadual. 

Jornal Midiamax