Política

Azambuja vai à Bolívia negociar compra de gás natural nesta sexta

Governador está licenciado para viagem

Midiamax Publicado em 05/05/2017, às 10h10

None
Foto: Chico Ribeiro/Portal MS

Governador está licenciado para viagem

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) cumpre agenda na Bolívia nesta sexta-feira (5). Ele viajou nessa quinta-feira e segue até esta data para participar de rodadas de negociações sobre à importação de gás natural diretamente por Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Segundo a assessoria de imprensa do governo, as reuniões acontecem em Santa Cruz de la Sierra e Tarija. A Assembleia Legislativa aprovou nessa quarta-feira (3.5) autorização para a viagem do governador em missão oficial de 4 a 6 de maio. Neste período a vice-governadora Rose Modesto, do mesmo partido, assume o Estado.

O objetivo é evitar a interrupção do fornecimento de gás ao bloco. A maior parte do trecho Norte do Gasoduto Brasil Bolívia (Gasbol) está em Mato Grosso do Sul. O duto começa em Santa Cruz, na Bolívia, entra na fronteira de Corumbá e corta o Estado até Três Lagoas, seguindo até Campinas (SP).

O trecho Sul passa pelo Paraná e Santa Catarina até o Rio Grande do Sul. Para manter o transporte a partir de 2020 será negociado um novo contrato. O governador Reinaldo Azambuja é o interlocutor do bloco nas negociações. Reinaldo Azambuja também negocia a compra direta através de terminal na fronteira de Corumbá, para atender a termelétrica que está sendo construída em Ladário.

Reinaldo Azambuja assumiu as negociações bilaterais após receber, em fevereiro, aval do presidente Michel Temer e Ministério das Relações Exteriores. No dia 15 de fevereiro, o governador fez a primeira reunião com autoridades bolivianas, na Embaixada da Bolívia, em Brasília, quando ficou acertada a reunião técnica, marcada para esta sexta-feira.

Além dos interesses do bloco, Mato Grosso do Sul negocia a compra direta para viabilizar a termelétrica de Ladário, que obteve em janeiro a licença ambiental prévia para construção. Nesse projeto a previsão é de importação de 1 milhão a 1,2 milhão de metros cúbicos de gás natural por dia, segundo o diretor presidente da MSGÁS, Rudel Trindade.

O governador Reinaldo Azambuja vai à Bolívia acompanhado do coordenador geral de Assuntos Econômicos Latino-Americanos e Caribenhos da Subsecretaria-Geral da América Latina e Caribe do Ministério das Relações Exteriores, João Carlos Parkinson de Castro, o governador de Mato Grosso, Pedro Taques, dirigentes de estatais de gás e energia do PR, de SC e do RS; secretário de Estado Infraestrutura de Mato Grosso do Sul, Marcelo Miglioli, e o diretor presidente da MSGás, Rudel Trindade.

Do lado boliviano está confirmada a presença do presidente Evo Morales, o ministro de Hidrocarburos Y Energía, Luis Alberto Sanchez Fernández, o vice-ministro de Exploração e Exportação de Hidrocarboneto, Luis Alberto Poma Calle; o vice-ministro de Industrialização, Comercialização, Transporte e Armazenamento de Hidrocarboneto, Oscar Barriga Arteaga; e o presidente da estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Boliviano (YPFB), Guilhermo Acha Morales.

Jornal Midiamax