Política

Assembleia Legislativa de MS ainda não tem data para convocar aprovados em concurso

Salários variam de R$ 2,7 mil a R$ 4,5 mil.

Midiamax Publicado em 25/01/2017, às 12h10

None
alms_2.jpg

Salários variam de R$ 2,7 mil a R$ 4,5 mil.

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul ainda não sabe quando dará o aval para a contratação dos aprovados no primeiro concurso realizado pelo poder legislativo no Estado, em setembro do ano passado. A validade do concurso é de um ano e pode ser prorrogada por período igual. São 80 vagas, e os salários variam de R$ 2,7 mil a R$ 4,5 mil.

Em nota, o Poder Legislativo explicou que uma “Comissão Especial será  formada, no retorno das atividades parlamentares, para avaliar os candidatos habilitados para as reservas de vagas especiais. A data, local e horário das entrevistas serão publicados oportunamente em edital específico nos sites da FCC e do Diário do Legislativo”, como é o casos dos candidatos inscritos e habilitados na condição de pessoas com deficiência e no programa de reserva de vagas aos negros e indígenas. Somente depois desta fase, a Mesa Diretora deverá homologar o concurso em Diário Oficial.

Pessoas com deficiência serão convocadas para a avaliação a ser realizada pela Junta Médica da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul ou por ela credenciada, para que seja verificado se a deficiência se enquadra na previsão da Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência da Organização das Nações Unidas – conforme estabelecido no edital do concurso.

Estes candidatos deverão apresentar o documento de identidade original e laudo médico (original ou cópia autenticada) expedido no prazo de até 12 meses anteriores à referida avaliação, atestando a espécie e o grau ou nível de deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doença (CID), a provável causa da deficiência, contendo a assinatura e o carimbo do número do CRM do médico responsável por sua emissão, bem como apresentar os exames necessários para comprovação da deficiência declarada.

Já os candidatos inscritos no programa de reserva de vagas aos negros e indígenas serão convocados para entrevista. Aos indígenas, a Comissão Especial, confrontará a declaração à Cédula Oficial de Identidade (RG) expedida pela Secretaria de Segurança Pública, com registro da etnia indígena ou com o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) expedido pela Fundação Nacional do Índio (Funai) ou certidão de nascimento constando a etnia indígena.

Ao todo são 507 pessoas pessoas classificadas para as vagas de  analista em Recursos Humanos, arquiteto, assistente jurídico, assistente social, biblioteconomista, cerimonialista, consultor de processo legislativo, contador, economista, engenheiro civil, jornalista, médico, publicitário e redator e revisor de debates. O resultado definitvo da seleção foi divulgado no dia 27 de dezembro.

Jornal Midiamax