Política

Após ter prisão negada, Aécio volta ao Senado por decisão de ministro do STF

Tucano já é investigado com autorização do próprio Supremo

Ludyney Moura Publicado em 30/06/2017, às 13h53

None

Tucano já é investigado com autorização do próprio Supremo

O ministro Marco Aurélio Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou a volta do senador Aécio Neves (PSDB-MS) ao Congresso Nacional para desempenhar suas funções parlamentares, que havia sido suspensas por determinação do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato na Corte.

O ex-presidenciável tucano foi flagrado em uma ação da Polícia Federal recebendo, por meio de assessores, dinheiro do empresário Joesley Batista,  do grupo JBS. A PGR (Procuradoria-Geral da República) chegou a solicitar a prisão de Aécio, todavia apenas o assessor que recebeu o recurso e sua irmã, Andreia Neves, foram presos, mas já estão em liberdade, sendo monitorados pela Justiça.Após ter prisão negada, Aécio volta ao Senado por decisão de ministro do STF

De acordo com o Jornal Folha de São Paulo, Mello restabeleceu a situação ‘jurídico-parlamentar’ do senador, afastando as restrições impostas por Fachin.

“Em síntese, o afastamento do exercício do mandato implica esvaziamento irreparável e irreversível da representação democrática conferida pelo voto popular”, alegou o ministro na decisão que beneficia Aécio Neves.

No começo deste mês a PGR denunciou o tucano pelos crimes de corrupção passiva e obstrução da Justiça, a partir dos depoimentos obtidos da delação da JBS. O senador também aparece como beneficiário de propinas na delação de 5 executivos da Construtora Odebrecht. 

Jornal Midiamax