Política

Após defender Cunha, Marun diz que confia na inocência de André Puccinelli

Deputado também afirmou que não teme que possa respingar nele

Midiamax Publicado em 11/05/2017, às 11h51

None

Deputado também afirmou que não teme que possa respingar nele

O deputado federal por Mato Grosso do Sul, Carlos Marun (PMDB), defendeu firmemente nesta quinta-feira, o ex-governador André Puccinelli, considerado líder maior do partido no Estado, questionado sobre o fato de André ter sido levado para prestar depoimento na Polícia Federal nesta manhã.

Para o parlamentar, o ex-chefe do executivo estadual irá comprovar sua inocência. “Eu mantenho minha confiança na inocência do André e tenho a convicção de que ao final esse processo irá resultar na comprovação da inocência dele”.

O deputado enfatiza que o momento é que a polícia e a justiça está fazendo seu papel. Ao ser questionado se o fato pode respingar nele, por ter grande proximidade com Puccinelli, ele afirma que não.Após defender Cunha, Marun diz que confia na inocência de André Puccinelli

“Não tenho esse tipo de temos, por que conheço minha vida e meu patrimônio. Dessa forma não tenho esse tipo de preocupação e repito não ter nenhum receio em dizer que confio na inocência de André”, destacou Marun.

Marun ainda fez questão de destacar o por que acredita que Puccinelli é inocente. “Digo isso por que eu conheço ele e é uma pessoa de hábito extremamente simples e nada na vida dele sinaliza ser possuidor de qualquer fortuna. Os atos deles são extremamente simples, tanto que nem viaja para exterior de primeira classe. Claro que vai ser cumprido o papel da justiça”.

Com relação ao partido, Marun afirma que é inegável que isso vá atrapalhar, mas não muda os planos até então. “O político tem a presunção da culpa, enquanto os demais cidadãos têm a presunção da inocência. É ao contrário. Agora temos que efetivamente verificar o andamento dos fatos e como tudo vai ser concluído”, finalizou o deputado.

Carlos Marun ficou extremamente conhecido em todo o Brasil por ter defendido o ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, também do PMDB, o que acarretou ao parlamentar diversas críticas.

Máquinas de Lama

A 4ª fase da Operação Lama Asfáltica, batizada de Máquinas de Lama, tenta desmontar ‘organização criminosa’ que desviou recursos públicos durante o governo de André Puccinelli. Segundo a Polícia Federal, os desvios eram feitos por meio de direcionamento de licitações públicas, superfaturamento de obras públicas, aquisição fictícia ou ilícita de produtos e corrupção de agentes públicos, que resultaram em um prejuízo de cerca de R$ 150 milhões aos cofres públicos.

A PF cumpre, desde as 6 horas, ordens judiciais de busca, apreensão e prisão em diversos endereços de Campo Grande. Um dos mandados é no apartamento de Puccinelli (PMDB), e seria motivado, supostamente por crime de lavagem de dinheiro. Informações preliminares são de que a Justiça Federal teria negado a prisão de Puccinelli, mas teria mandado colocar no ex-governador uma tornozeleira eletrônica.

Jornal Midiamax