Política

VÍDEO: gritos de ‘Fora Temer’ dominam Rua 14 de Julho após término do desfile

Protesto é chamado de 'Grito dos Excluídos'

Daiane Libero Publicado em 07/09/2016, às 14h17

None
fora_temer_print_2_-_midiamax.jpg

Protesto é chamado de 'Grito dos Excluídos'

Após o término do Desfile Cívico-Militar de Sete de Setembro, que levou 20 mil pessoas ao Centro de Campo Grande neste feriado, segundo estimativa apresentada pela Polícia Militar no local, um grupo protestou contra o governo de Michel Temer, se autodenominando Grito dos Excluídos (veja vídeo abaixo). 

Entre os gritos de público formado por manifestantes do PT, PSOL e CUT (Central Única de Trabalhadores), estavam vaias e a frase "Se empurrar o Temer cai". Os manifestantes ocuparam a Rua 14 de Julho . "Viemos aqui para aproveitar e lutar pelos nossos direitos, de pedir a saída do Temer", explicou a estudante paulista Angelina Pezzi, que está em Campo Grande para o feriado mas decidiu participar do protesto. 

A mestranda em antropologia Priscilla Anzoategui, 35 anos, manifestante do movimento Coletivo Terra Vermelha, foi até o protesto para defender os direitos dos indígenas em Mato Grosso do Sul. "É a primeira vez que venho participar do grito, acho muito importante. Apesar de ter críticas à Dilma, por ela não ter feito tantas demarcações de terras para os índios, com o Temer a tendência é piorar muito", acredita. 

Manifestação tensa

O presidente estadual do PT, Antônio Carlos Biffi, estava presente no Grito dos Excluídos e chegou a ser interrompido por manifestantes enquanto falava com a reportagem do Midiamax. Um rapaz sem identificação começou a agredi-lo enquanto ele tentava falar com os repórteres. "Vim protestar contra o golpe no país. Esse governo não tem legitimidade, está fazendo um papelão na representação do Brasil. A visão internacional é clara, o mundo inteiro está vendo que ocorreu um golpe", afirmou. 

No Grito dos Excluídos, os candidatos à prefeitura municipal Suel Ferrante (PSTU) e Rosana Santos (PSOL) também foram vistos. Além disso, um grupo em prol de Intervenção Militar e da Monarquia também estava presente. "Esse grupo que quer a saída do Temer, eles pensam não terem votado no Temer, mas como votaram na Dilma, colocaram o Temer no poder também", afirma o manifestante e estudante Luis Pereira, de 21 anos. 

Jornal Midiamax