Política

TRE-MS registrou 1.093 denúncias até véspera de eleição

A maioria é de compra de votos

Wendy Tonhati Publicado em 29/10/2016, às 12h52

None
a2d634f0-118f-408d-a60d-b9cadc7e8c58.jpeg

A maioria é de compra de votos

Na véspera do pleito que vai eleger o novo prefeito ou prefeita de Campo Grande, a estatística do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) registrou 1.093 denúncias. A maioria (308 denúncias) é sobre a compra de votos, arrecadação ou gastos ilícitos em campanha, condutas vedadas aos agentes públicos.

O total conta com o primeiro turno e, portanto, representa Mato Grosso do Sul. Em segundo lugar no ranking, vem propaganda eleitoral por mensagens eletrônicas e telemarketing (275 denúncias). Propaganda em bens de uso comum (cinemas, clubes, lojas, centros comerciais, templos, ginásios, estádios, bares, ou seja, aqueles a que a população em geral tem acesso) está no terceiro lugar (128 denúncias).

Nesta eleição já foi registrado mais do que o dobro do total registrado no pleito passado, em 2014, que foram cerca de 458. Vale ressaltar que esta eleição é a primeira após a reforma política de 2015, na qual o período de campanha passou a ser de apenas 45 dias, sendo que há dois anos era de 90 dias.

O sistema Web Denúncia, criado pelo TRE-MS só funcionou até a sexta-feira (28). Já o aplicativo de celular ‘Pardal’ continua por tempo indeterminado, até uma definição do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Ranking

Na sequência está propaganda mediante distribuição de material gráfico -folhetos, adesivos, volantes e outros impressos- (90 denúncias), reuniões políticas (82 denúncias). Propaganda mediante inscrição ou pintura nas fachadas, muros ou paredes e exposição de placas, estandartes, faixas, cavaletes, bonecos ou assemelhados (54 denúncias), Propaganda mediante carros de som, minitrio, alto-falantes e amplificadores de som (47 denúncias)

Propaganda intrapartidária e propaganda antecipada (31 denúncias), propaganda ao longo das vias públicas, mediante colocação de mesas para distribuição de material de campanha e a utilização de bandeiras (28 denúncias), comício e showmício (20 denúncias), realização de debates ou entrevistas com partidos/coligações ou candidatos (18 denúncias), propaganda mediante carreatas, passeatas ou caminhadas (12 denúncias), propaganda eleitoral por meio de outdoor (11 denúncias) e identificação da sede de partidos, coligações e comitês de candidatos (9 denúncias).

Jornal Midiamax