Política

Tereza Name é a única opção do PDT para concorrer a prefeitura da Capital

A informação foi dada pelo deputado estadual George Takimoto (PDT)

Midiamax Publicado em 22/04/2016, às 16h11 - Atualizado em 18/07/2020, às 00h37

None
Foto: Assembleia/Giuliano Lopes

A informação foi dada pelo deputado estadual George Takimoto (PDT)

O pleito eleitoral municipal de 2016 se aproxima e os partidos se movimentam e debatem para definirem seus representantes para as disputas de prefeitos e vereadores em todo o Brasil. O PDT, em Campo Grande, tem hoje, somente a ex-vereadora Tereza Name como potencial candidata para disputar a prefeitura da Capital. A informação foi dada pelo deputado estadual George Takimoto, que faz parte do diretório estadual da sigla.

“Conversei com o deputado federal Dagoberto Nogueira, hoje, que é o presidente regional a legenda e vamos deixar pra discutir sobre eleições após esse processo da presidente Dilma passar pelo Senado. De qualquer forma, pode ocorrer de não termos candidato próprio em Campo Grande, mas se resolvermos e encontrarmos possibilidade, atualmente nosso primeiro e único nome para esta disputa é a ex-vereadora Teresa Name. Ela tem pretensão, tem trabalhos sociais. Em breve decidiremos esta questão”.

Ao ser questionado sobre Dagoberto ser uma opção, como ele mesmo já havia dito anteriormente, o parlamentar descarta. “Não, o Dagoberto não será candidato não. Ele tem outros planos”, resumiu a dizer o deputado. “Não vamos lançar candidatura por lançar, pois se até PSDB que tem o governo na mão está com dificuldade de definir seu nome, imagina nós que não temos”.

Em entrevista recente, Tereza Name disse ao Jornal Midiamax, estar a disposição do partido e que se a sigla decidir pelo seu nome para encarar o desafio está pronta para disputar a eleição de prefeito da Capital.

Reunião adiada

Estava programada para a última quarta-feira (20), entre lideranças do PDT em Dourados, uma reunião para definir quem o partido irá apoiar nestas eleições na cidade. Mas o encontro foi adiado em função do feriado.

Segundo Takimoto, pelo fato de vários vere3adores estarem viajando por causa do ferido prolongado, resolveu-se adiar o debate para daqui uns 15 dias. O deputado salientou que a definição está entre o PMDB, com Renato Câmara, deputado estadual e PSDB, com Geraldo Resende, deputado federal.

Jornal Midiamax