Categoria também fará paralisações até quarta

O Sintss-MS (Sindicato dos Servidores da Saúde de Mato Grosso do Sul) deliberou em assembleia geral realizada no saguão do Hospital Regional de Campo Grande nesta segunda-feira (2), um indicativo de greve para a próxima sexta-feira (6), caso as negociações com o Governo do Estado não avancem. Até lá, paralisações estão definidas.

Os servidores esperam que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) apresente uma nova proposta de renegociação salarial até quarta-feira (4). “A febre pela greve que o governo queria medir, explodiu seu termômetro na manhã desta segunda-feira”  afirmou o presidente do Sintss-MS, Alexandre Júnior Costa.

Independente do avanço das propostas, os servidores da saúde também deliberaram por paralisações parciais até a próxima quarta-feira, nos turnos da manhã e da tarde, por duas horas, das 7h às 9h e das 13h às 15h.

Segundo nota publicada no site do sindicato, a decisão ocorre por impaciência com a demora do Executivo em apresentar novas propostas. O texto afirma que os vencimentos da categoria estão congelados desde dezembro de 2014, enquanto a inflação estaria ‘corroendo’ seus salários em 16,14%. 

Negociações

Segundo o sindicato, na última sexta-feira (29), o Executivo propôs por mais uma vez o abono salarial de R$ 250,00, mas a categoria rejeitou a proposta alegando que o abono não é incorporado ao salário, o que traria insegurança previdenciária aos trabalhadores. Por isso aguardam a nova proposta até o dia 4. 

(Sob supervisão de Ludyney Moura)