Política

Santa Casa e setor industrial acirram debate entre Marquinhos e Rose

Acusações e comparações não param

Jessica Benitez Publicado em 22/10/2016, às 01h33

None
debaterose.jpg

Acusações e comparações não param

No segundo bloco do debate realizado pelo Jornal Midiamax entre os candidatos à Prefeitura de Campo Grande, a troca de acusações e provocações continuou. Enquanto o deputado estadual Marquinhos Trad (PSD) tem como alvo o governo do Estado, a vice-governadora Rose Modesto (PSDB) lembra da gestão de Nelson Trad Filho (PTB) irmão do concorrente.

No tema relacionado à saúde, Rose perguntou sobre o sucateamento da Santa Casa que, segundo ela, começou quando Nelsinho fez intervenção no Hospital, aumentando, conforme a fala, dívida de R$ 40 milhões para R$ 170 milhões. Marquinhos respondeu dizendo novamente que ele não é o irmão ou o primo deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM) à época secretário de Saúde.

“Minha gestão será do Marquinhos. Eu nunca fui prefeito ou vice, nunca fui governador ou vice. Mas nossa gestão vai estar na Santa Casa, nas unidades de saúde, nos UPAs (Unidades de Pronto Atendimento)”. Criticou o fato de o governo repassar somente R$ 500 mil por mês para a Santa Casa, informação errônea, segundo Rose que garante que o repasse é de R$ 2,5 milhões.

O deputado garantiu que vai provar que somente meio milhão é repassado. Também foi pauta o setor industrial. Desta vez o parlamentar destinou pergunta à tucana. Ela garantiu que o governo está conversando com o setor da indústria. “Mas é olho no olho, todos sabem das dificuldades. O importante pe que o governo encontrou o equilíbrio”, disse.

Marquinhos, porém, se lembrou do aumentos de impostos na gestão estadual, ressaltando várias vezes a taxa de inspeção veicular derrubada pela Justiça. Ele peguntou várias vezes sobre o assunto à concorrente e, por fim, obteve resposta de que os interessados em serem ressarcidos terão que buscar a Justiça.

Jornal Midiamax