Política

Reinaldo diz que abono de R$ 200 significa aumento de 10% para maioria

Governo alega que abono é o possível para garantir 'estabilidade fiscal' 

Ludyney Moura Publicado em 06/04/2016, às 13h49

None
reinaldo12932938_987649484636404_8790827547993930431_n.jpg

Governo alega que abono é o possível para garantir 'estabilidade fiscal' 

O embate por reajuste entre governo e servidores estaduais ainda não está definido. Nesta quarta-feira (6), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) defendeu a proposta de abono, de R$ 200, oferecida e alegou que legalmente isto é tudo o que pode ser oferecido.

“O abono de R$ 200 significa 10% de aumento para 70% das categorias de servidores. É significativo e positivo no momento, para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e garantir o pagamento em dia”, afirmou o governador.

Segundo ele, apesar da proposta oferecida, o governo ainda permanece aberto à discussão com as categorias. Azambuja explica que no momento, em respeito à LRF o Estado já atingiu o chamado ‘limite prudencial’ de gastos com pessoal.

“Só pode crescer despesa se a receita crescer junto”, alega Reinaldo. Para ele, os R$ 200 oferecidos em forma de abono garantem a estabilidade fiscal de Mato Grosso do Sul.  “Vamos chegar a um bom termo que possa atender as categorias e o Estado continuar cumprindo as obrigações”, emendou.

O Fórum dos Servidores Estaduais, entidade que representa cerca de 40 servidores do Estado, fará uma assembleia geral de diversas categoriais no próximo sábado (9) com indicativo de greve, já que são contra a proposta apresentada pela administração tucana. 

Jornal Midiamax