Política

Reinaldo critica atraso na entrega de uniformes em Campo Grande

Ele evitou comentar polêmica sobre bermudas paraguaias

Jessica Benitez Publicado em 29/06/2016, às 17h52

None
azambuja.jpg

Ele evitou comentar polêmica sobre bermudas paraguaias

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), não quis comentar sobre os uniformes da Reme (Rede Municipal de Ensino) de Campo Grande fabricados no Paraguai, mas criticou o atraso na entrega da roupa e dos kits escolares aos alunos. Para ele, isso compromete o aprendizado e as família que, em alguns casos, não têm condições financeiras de comprar os itens necessários aos estudantes.

“Não quero entrar no mérito de onde foi fabricado o uniforme, mas acho que o importante é os órgãos públicos do Município e Estado propiciar aos alunos no tempo certo de entrega. Isso para poder melhorar a qualidade de educação pública porque uniforme e kits são coisas que preocupam as famílias que não têm condições de comprar”, disse.

Este é o terceiro ano seguido que os alunos das escolas municipais de Campo Grande quase fecham o primeiro semestre sem os itens. Na rede estadual ocorreu atraso em 2015 e Azambuja justificou dizendo que a gestão anterior, de André Puccinelli (PMDB), não havia deixado planejamento para a compra. Para que o erro não se repita o Estado iniciou processo licitatório para compra de uniformes para 2017 e 2018.

Ao todo serão 1,3 milhão de camisetas conforme publicação do Diário Oficial. Nas especificações estão exigências de malha na cor verde, além da composição em 67% poliéster e 33% modal em manga curta. “Esse é o grande desafio, manter as datas de entrega aqui em Mato Grosso do Sul”, concluiu o governador durante agenda pública nesta quarta-feira (29).

Polêmica – No início desta semana, mães de alunos da Reme reclamaram que os uniformes escolares oferecidos aos estudantes foram fabricados no Paraguai. As peças estariam com acabamento ruim e com material de má qualidade.

Em resposta, a Prefeitura disse que no edital de aquisição dos uniformes foram previstos padrões de qualidade dos produtos que seriam adquiridos e em uma das fases, as empresas, de forma pública, apresentaram as amostras para garantir que a qualidade exigida seria cumprida. Desta forma venceu a empresa que ofereceu a melhor qualidade e menor preço.

Jornal Midiamax