Política

Quase 1/3 das denúncias registradas no TRE-MS são por compra de votos

Dados estão disponíveis no site da Justiça Eleitoral

Jessica Benitez Publicado em 27/10/2016, às 18h45

None
urna_biometrica_df_tre.png

Dados estão disponíveis no site da Justiça Eleitoral

A três dias da eleição para escolha da próxima administração de Campo Grande, a estatística de denúncias do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) já aponta 1.084 registros, sendo que deste 28,33% são sobre compra de votos, arrecadação ou gastos ilícitos em campanha, condutas vedadas aos agentes públicos.

Em segundo lugar no ranking vem propaganda eleitoral por mensagens eletrônicas e telemarketing com 25,09%. Vale ressaltar que o total conta com o primeiro turno e, portanto, representa Mato Grosso do Sul. Propaganda em bens de uso comum (cinemas, clubes, lojas, centros comerciais, templos, ginásios, estádios, bares, ou seja, aqueles a que a população em geral tem acesso) está no terceiro lugar do pódio de denúncias com 11,8%.

Na sequência vem Propaganda mediante distribuição de material gráfico (folhetos, adesivos, volantes e outros impressos) com 8,11%, reuniões políticas com 5,62%, Propaganda mediante inscrição ou pintura nas fachadas, muros ou paredes e exposição de placas, estandartes, faixas, cavaletes, bonecos ou assemelhados com 4,98%, Propaganda mediante carros de som, minitrio, alto-falantes e amplificadores de som com 4,33%.

Propaganda intrapartidária e propaganda antecipada representando 2,76% do índice de denúncias, propaganda ao longo das vias públicas, mediante colocação de mesas para distribuição de material de campanha e a utilização de bandeiras 2,58%, comício e showmício 1,84%, realização de debates ou entrevistas com partidos/coligações ou candidatos 1,66%, propaganda mediante carreatas, passeatas ou caminhadas 1,1%, Propaganda eleitoral por meio de outdoor 1,01% e Identificação da sede de partidos, coligações e comitês de candidatos (fachadas de suas sede e dependências) 0,83%.

Jornal Midiamax