Política

Prefeito eleito não adianta nomes, mas diz ‘simpatizar’ com Ayache e Calheiros

“Mas nem conversei com eles ainda”, pontuou 

Evelin Cáceres Publicado em 16/11/2016, às 14h43

None
marquinhos.jpg

“Mas nem conversei com eles ainda”, pontuou 

Prefeito eleito, mas em exercício ainda como deputado estadual na Assembleia Legislativa, Marquinhos Trad (PSD) não escapou das repetidas perguntas sobre o seu secretariado nesta quarta-feira (16) e adiantou apenas que ‘simpatiza’ com Ricardo Ayache e Américo Calheiros.

“Mas isso não quer dizer que eles serão secretários, eu nem falei com eles ainda. Só digo a vocês que simpatizo com o trabalho deles. Acredito que o Ayache fez muito pela Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul) e o IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande) precisa de uma reestruturação”.

Marquinhos disse que deve divulgar os nomes somente próximo da segunda quinzena de dezembro para evitar os ‘Zé Boquinhas’. O deputado afirmou que está conversando com todos os partidos, mas que não assegura nem se compromete com ninguém. “Peço indicações de nomes técnicos, estou avaliando todos. A nomeação vai cumprir o Chalc, siglas para competência, humildade, atitude, lealdade e competência”.

Após citar o caso dos Zé Boquinhas, Marquinhos lembrou Athayde Nery. “Até onde eu sei tem gente esperando no governo que o Athayde volte. O PPS concorda que ele tenha que voltar, precisa que ele volte”, alfinetou.

Sobre a diminuição de secretarias, Marquinhos disse que Bernal concorda com a ideia. “Mas temos que ver com a equipe de transição o que poderia diminuir. Podemos, ao invés de secretaria, ter coordenadoria. Se após essa análise o atual prefeito não encaminhar a proposta, nós encaminharemos assim que assumirmos”, avaliou. 

Jornal Midiamax