Política

Prefeito desconhece ação de ex-diretora e diz que sindicância está correta

Ex-servidora foi demitida por 'crise da merenda'

Jessica Benitez Publicado em 28/01/2016, às 20h53

None
bernal_novo.jpg

Ex-servidora foi demitida por 'crise da merenda'

“Isso é um fato novo, não chegou ao meu conhecimento”, disse o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), quanto à ação que uma ex-diretora de Ceinf (Centro de Educação Infantil) ingressou no TJ/MS (Tribunal de Justiça) alegando ter sido vítima de sindicância injusta por parte do Executivo e, por isso, ter pedido o emprego de quase 20 anos. No entanto, para ele, se houve este resultado, o veredito está correto.

Sônia Márcia Lira de Campo, que exige R$ 50 mil em danos morais, era titular na unidade Cláudio Marcos Marcini e foi desligada do cargo em 2013 depois de permitir que equipe do MPE (Ministério Público Estadual) entrasse no local para averiguar situação da merenda escolar. As imagens captadas pela equipe foram divulgadas e o Município considerou que a funcionária expôs a gestão.

Sendo assim, segundo consta nos autos, ela foi declarada culpada pela divulgação da 'crise da merenda' o que acabou em exoneração. Questionado sobre a ação, Bernal respondeu que todos que se sentem injustiçados devem recorrer ao judiciário. “Se ela comprovar que ocorreu irregularidade”, disse na tarde desta quinta-feira (28) durante agenda pública.

“Agora, com certeza toda sindicância é feita com todo respeito, há direito de ampla defesa, há provas e se chegou a conclusão de que houve responsabilização é porque de fato houve”, completou. Nos autos a ex-servidora relata que após contratação da Salute Distribuidora de Alimentos, qualidade “o Ceinf passou a receber alimentos de baixa/péssima qualidade, como carne com excesso de gordura/sebo”.

Jornal Midiamax