Política

Outras lideranças vão pelo mesmo caminho, diz Azambuja sobre Cunha

Ele aguarda a chegada de Aécio Neves

Jessica Benitez Publicado em 20/10/2016, às 18h18

None
azambuja.jpg

Ele aguarda a chegada de Aécio Neves

O governador do Estado Reinaldo Azambuja (PSDB) classificou como “normal” a prisão preventiva do ex-presidente da Câmara Federal, deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-AL) e acrescentou que a tendência é de que outras lideranças nacionais sigam esse mesmo caminho. Ele concedeu entrevista à imprensa enquanto aguarda a chegada do senador Aécio Neves, presidente do PSDB, no Aeroporto de Campo Grande.

A chegada do dirigente essa atrasada em mais de uma hora, ele vem à Capital para fazer caminhada com a vice-governadora Rose Modesto (PSDB) que disputa o segundo turno pela Prefeitura. Questionado sobre a possibilidade de lideranças tucanas serem presas também na Operação Lava Jato, Azambuja só repetiu o que já havia dito, “outras lideranças seguirão este mesmo caminho”.

Aécio já foi citado durante a investigação, mas para o governador não há nada forte o suficiente para refletir negativamente. “Existe o direito de defesa e do contraditório, ele foi citado em delação, isso não significa que seja culpado. A Lava Jato vai continuar, teve citação, mas não teve comprovação”, avaliou.

Para ele a principal prova foi o resultado nas urnas, tendo em vista que o PSDB cresceu em todo o país, sendo em Mato Grosso do Sul o campeão no ranking de mais prefeituras conquistadas.

“O Aécio fez um enfrentamento à polícia da Dilma e Lula, acho que tem credibilidade porque combateu essa política”, completou e aproveitou para tecer críticas à gestão do prefeito Alcides Bernal (PP). “A cidade está penalizada da saúde à educação”.

Jornal Midiamax