Política

Marquinhos diz que tomará medidas amargas, mas necessárias para a Capital

Diplomação ocorreu nesta sexta-feira

Jessica Benitez Publicado em 17/12/2016, às 00h08

None

Diplomação ocorreu nesta sexta-feira

O prefeito eleito, deputado estadual Marquinhos Trad (PSD), disse durante discurso na cerimônia de diplomação, que não acha este o pior momento de Campo Grande para assumir uma gestão. Ao contrário, alega que é nessa hora que há oportunidade de mostrar trabalho e em 2017 vai tomar medidas amargas para recuperar a cidade.

Ele tem consciência de que receberá muitas críticas por conta disso, contudo classifica como um mal necessário. “Estamos firmes no propósito de salvar Campo Grande”, reafirmou.

Agradeceu à família e à população por ter sido eleito, lembrou do pai Nelson Trad e ressaltou que escolheu o secretariado com intuito de juntar forças para levantar a Capital. “Nessas horas as pessoas são testadas para ter bom resultado”·

Vereador mais votado na última eleição, o policial federal André Salineiro (PSDB) discursou em nome dos 29 eleitos para Câmara Municipal. Também agradeceu aos familiares, equipe e eleitores. Se lembrou das dificuldades enfrentadas durante a campanha eleitoral.

“Mas sonhamos em fazer algo diferente, vamos lutar contra essa anarquia por qual o Brasil passa”, disse referindo-se ao momento delicado em que o cenário político passa. Pediu paz entre os poderes e que os colegas não deixem que cores partidárias atrapalhe a boa convivência.

Além de Marquinhos, sua vice Adriana Lopes (PEN) e os 29 vereadores eleitos, foram diplomados 17 suplentes, entre eles legisladores que têm mandato, mas não conseguiram reeleição. Esse é o caso de Edil Albuquerque (PTB), Jamal Salem (PR), Coringa (PSD) e Eduardo Cury (PTdoB).

Jornal Midiamax