Política

Manifestantes vão à Câmara e vaiam vereador petista que defendeu Dilma

Grupo foi à Câmara convidar vereadores

Ludyney Moura Publicado em 10/03/2016, às 15h08

None
img-20160310-wa0048.jpg

Grupo foi à Câmara convidar vereadores

A sessão desta quinta-feira (10) na Câmara da Capital foi marcada pela presença de cerca de 20 manifestantes do movimento Chega de Impostos, que foram convidar os vereadores para participar dos protestos marcados para o próximo domingo (13).

Representando o grupo, a jornalista Karina Maia, afirmou que a intenção os manifestantes vão pedir o fim da corrupção, diminuição dos impostos e o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

“O Brasil chegou a um nível em que muitos pensam em sair do país. Mas, é hora de ficar para fazer a diferença. O movimento de domingo é um importante passo para o início de uma transformação”, declarou Karina.

Em resposta, o vereador Alex do PT defendeu o partido da presidente Dilma, e pontuou que durante as gestões do PSDB, com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a Procuradoria da República ‘favorecia e escondia as falcatruas do governo. “O PT quando assumiu o país trouxe transparência”, disse o parlamentar.

Alex teve dificuldade em terminar a fala porque foi vaiado pelo grupo. Após alguns instantes e pedidos, ele alegou que não é contra a manifestação, desde que ela seja pacífica. O vereador também pediu que os manifestantes incluam no protesto as denúncias que envolvem o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, e políticos envolvidos e denunciados na Operação Lama Asfáltica.

Outros parlamentares, como Mario Cesar e Otávio Trad, usaram a palavra para empenhar apoio ao movimento. Alguns vereadores confirmaram que estarão presentes no ato.

De saída do PT, o vereador Roberto Durães também saiu em defesa do partido. “Não estou defendendo a Dilma, mas sou contra as atrocidades em volta do nome da presidente da República. Não to dizendo que ela tem que ficar ou sair, mas que parem do falar do nome do partido e comecem a falar nomes que assombram a nação”, finalizou.

O protesto está marcado em todo o para as 16 horas do próximo domingo. Em Campo Grande, os organizadores marcaram a Praça do Rádio Clube como ponto de concentração. 

Jornal Midiamax