Política

Gilmar Mendes e Rodrigo Janot ‘trocam farpas’ sobre atuação da Lava Jato

O ministro criticou a PGR pela "lentidão"

Midiamax Publicado em 07/09/2016, às 16h51

None
gilmar-mendes-ministro-do-stf-critica-em-encontro-de-lisboa.jpg

O ministro criticou a PGR pela "lentidão"

Gilmar Mendes, ministro do STF (Superior Tribunal Federal) voltou a ilustrar novas polêmicas nesta semana. Ele afirmou na terça-feira (6) que existe morosidade nas investigações da Lava Jato sob responsabilidade da PGR (Procuradoria Geral da República). As informações são do portal Jota.

Comparando a PGR com a força-tarefa que atua na operação no Paraná, o ministro criticou a lentidão da Procuradoria. “Eu acho que há morosidade nas investigações na PGR. Curitiba é muito mais célere do que a PGR. Isso é evidente. Quantos inquéritos que estão abertos que não tiveram ainda denuncias oferecidas? Talvez centenas de inquéritos abertos, que estão no Supremo, mas quantas denúncias oferecidas? Portanto a lentidão é da PGR”, declarou.

De acordo com o portal Jota, as declarações seriam uma reação às afirmações de Rodrigo Janot, procurador-geral da República, que criticou 'desenrolar' da operação no STF, afirmando que 'tem ritmo mais lento'.

O STF analisa inquéritos e ações penais contra deputados, senadores e ministros que têm foro privilegiado e, dessa forma, tem sob responsabilidade os processos desde o início e não apenas os recursos. Os procuradores que atuam na força-tarefa de Curitiba, por sua vez, apuram supostos crimes cometidos por pessoas sem foro.

Ainda na terça-feria, Janot foi questionado sobre o ritmo da Lava Jato. Na opiniçao do procurador, a operação, no STF, 'segue em ritmo de tribunal'. “[Ritmo] de qualquer tribunal. Tribunal não foi feito para formar processo, mas para julgar recurso. Quando se inverte a lógica, fica mais lento mesmo”, declarou.

Jornal Midiamax