Política

Em MS, defensores de Dilma já cogitam derrota e contam com o Senado

Manifestantes pontuam que o PT tirou milhares de famílias da linha de pobreza

Midiamax Publicado em 17/04/2016, às 21h47

None
img-20160417-wa0018.jpg

Manifestantes pontuam que o PT tirou milhares de famílias da linha de pobreza

Integrantes de movimentos sociais que estão reunidos desde a noite de sábado (16) na Praça Ari Coelho, entre as ruas 14 de Julho e 13 de maio e avenida Afonso Pena e 15 de Novembro, já cogitam a derrota nos votos na Câmara de Deputados. A esperança, segundo ele, é o Senado, que tem agido de forma mais responsável e comprometida com a sociedade.

Coordenador da Frente Brasil Popular de MS, Mário Fonseca, diz que no momento, cerca de 500 pessoas acompanham a votação, mas, que durante o dia, mais de mil pessoas passaram por lá. “Ao longo do dia passaram mil pessoas, orientamos a todos que venham, independente do resultado. Vamos continuar a luta a favor da democracia, porque a presidente não foi investigada por corrupção. Não violou, em nenhum momento, a constituição”, diz.

Segundo ele, o golpe foi tramado pelo vice Michel Temer (PMDB), que quer ocupar o lugar da presidente. “Essa questão de pedalada é um atraso, não um desvio. Não trouxe prejuízos aos cofres públicos. Tentam arrumar protesto de qualquer jeito para pedir o impedimento. Eu acredito que no Senado, esse resultado possa ser revertido”, diz, já cogitando a derrota.

“Hoje é uma batalha, não uma guerra. O Senado tem se comportado de maneira responsável”, pondera.

Já Abílio Borges, do Movimento Nacional de Luta pela Moradia, diz que assim com Dilma ganhou a eleição no nordeste, sera salva pela região, assim como todo o país. “Aguardamos os últimos resultados”, diz, 

Jornal Midiamax