Política

Dilma afirma não mudar ministérios até votação do Impeachment

Governo deve esperar posicionamento de parlamentares

Joaquim Padilha Publicado em 05/04/2016, às 15h06

None
janaina.png

Governo deve esperar posicionamento de parlamentares

"O Palácio do Planalto não está pretendendo reestruturação ministerial antes de qualquer processo de votação na câmara. Nós não mexeremos em nada", afirmou a presidente Dilma Rousseff (PT) em entrevista coletiva concedida pela manhã desta terça-feira (5). A declaração deve seguir o recomendado por setores do Governo.

Dilma ainda falou sobre as especulações da mídia entorno das entregas de ministério e sobres sua vida pessoal. Em clara alusão à última reportagem de capa da Revista IstoÉ, a presidente disse que "factóides" sobre sua saúde não configuram "bom jornalismo". "Isso é um jornalismo especulativo que cria no país um clima de instabilidade extremamente nocivo", afirmou aos jornalistas.

O governo fez intensas negociações com a base aliada sobre ministérios. A saída do PMDB, que ainda conta com seis ministérios, deixa a possibilidade de que partidos menores recebam mais atenção da presidência. O PP, partido já aliado ao Governo, é um dos mais indicados para novos cargos. O líder do PP na câmara, Aginaldo Ribeiro, afirmou que não importa se o partido receberá as pastas de Educação ou Saúde, desde que tenha o devido "prestígio"

Dilma precisa que 171 deputados votem contrários ao processo de impeachment para permanecer no poder. Até lá, as negociações são criticadas pela oposição. Reportagem do G1 conversou com o deputado Marcelo Aro  (PHS-MG), que afirmou que o governo oferece cargos e pede para os parlamentares não comparecerem no dia da votação. "Como se não bastasse eles oferecerem cargos, entre outra coisas, agora eles também estão falando o seguinte: não precisa votar não,apenas não venha votar", disse o deputado.

Jornal Midiamax