Política

Delcídio pede mais 100 dias de licença ao Senado por assuntos ‘particulares’

Votação na CCJ será amanhã às 9hs

Ludyney Moura Publicado em 04/05/2016, às 14h18

None
delcidio_amaral_foto_geraldo_magela_ag_senado.jpg

Votação na CCJ será amanhã às 9hs

Um dia após aprovação do pedido de cassação de seu mandato ser aprovado no Conselho de Ética, o senador Delcídio do Amaral (sem partido) entrou com um novo pedido de afastamento do Senado, desta sob alegação de que precisa de 100 dias para ‘tratar de interesses particulares’.

O próprio Senado confirmou a informação em seu portal. Delcídio solicita que sua licença passe a contar já a partir da próxima sexta-feira (6). Todavia, nesta quarta-feira (4), a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) deve analisar o pedido de cassação de mandato, relatado pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES).

De acordo com o Jornal Folha de São Paulo, a presidente Dilma Rousseff (PT) estaria pressionando o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), a pautar no plenário da Casa a cassação de Delcídio antes do dia 11 de maio, data prevista para apreciação da admissibilidade de seu processo de impeachment.

O senador sul-mato-grossense foi líder do governo no Senado e um dos principais aliados de Dilma no Congresso, até ser preso, no dia 25 de novembro de 2015, sob acusação de estar tentando obstruir a operação Lava Jato.

De acordo com a Folha, o relator do processo na CCJ revelou que Delcídio, que já pediu cinco licenças medicas ao Senado, ainda precisa ser notificado da decisão nas comissões antes que sua cassação seja apreciada em plenário. 

A Recomendação do Conselho de Ética pela cassação do mandato de Delcídio do Amaral foi lida na Comissão de Justiça pelo senador Ricardo Ferraço e será votada amanhã, quinta-feira (5), às 9h.

Jornal Midiamax