Política

#debatemidiamax: Coronel David fala em tolerância zero contra corrupção

Evento movimentou cenário político da Capital

Ludyney Moura Publicado em 17/09/2016, às 20h48

None
coronel_david.jpg

Evento movimentou cenário político da Capital

O candidato do PSC à Prefeitura de Campo Grande, e ex-comandante da Polícia Militar em Mato Grosso do Sul, Coronel David, declarou, no debate do Jornal Midiamax, que o combate à corrupção e ao crime será prioridade em seu possível governo no Paço Municipal.

“Não temos o Governo nos financiando, não temos a prefeitura e não temos grupos econômicos que sugam o dinheiro do campo-grandense, o compromisso é com a população que sofre nos postos de saúde, com a falta de merenda”, afirmou Coronel David. “Não é um projeto individual, mas um programa que visa atender a população como um todo”, destacou o candidato.

Entre as propostas apresentadas por David estão a ampliação do videomonitoramento na Capital, e instalação de câmeras em escolas e creches. Ele também prometeu investir e hierarquizar a Guarda Civil Municipal.

 “A transparência e o combate à corrupção serão prioridades no meu governo. Quero ser o prefeito para restabelecer o orgulho e a dignidade de Campo Grande. Vou valorizar os protagonistas, professores e servidores”, disse durante o evento.

O debate do Jornal Midiamax do 1º turno das eleições municipais de 2016, aconteceu ontem, nesta sexta-feira (16), reuniu 11 candidatos a prefeito de Campo Grande e durou pouco mais de duas horas. A #debatemidiamaxchegou a ficar no Trending Topics do Twitter no país. 

Participaram do debate os candidatos que compareceram ou enviaram representantes ao chamamento para realização do evento, Adalton Garcia (PRTB), Alcides Bernal (PP), Alex do PT, Aroldo Figueiró (PTN), Athayde Nery (PPS), Coronel David (PSC), Elizeu Amarilha (PSDC), Marcelo Bluma (PV), Marquinhos Trad (PSD), Rose Modesto (PSDB) e Suél Ferranti (PSTU). Ficaram de fora por não enviar representantes à reunião, Pedro Pedrossian Filho (PMB), Rosana Santos (PSOL), Flávio Arce (PCO) e Lauro Davi (PROS).

Jornal Midiamax