Política

Debate começa com apresentação dos 11 candidatos a prefeito

Todos apresentaram suas propostas iniciais

Ludyney Moura Publicado em 17/09/2016, às 01h03

None
whatsapp_image_2016-09-16_at_21.46.05_1.jpeg

Todos apresentaram suas propostas iniciais

O debate do Jornal Midiamax começou com apresentação dos 11 candidatos. Cada um dos políticos na disputa pela Prefeitura de Campo Grande, teve dois minutos para se apresentar ao eleitor. Confira por ordem de apresentação o que disse sobre si mesmo e sobre a candidatura cada um dos participantes do debate.

Adalton Garcia (PRTB): Disse que Campo Grande precisa de uma pessoa comum sem grandes títulos para ser prefeito. É formado em Turismo com especialização na USP. “O PRTB acredita fielmente no que apresentou no programa, ainda que tenham poucos segundos”

Marcelo Bluma (PV): O candidato cumprimentou adversários, companheiros de sua chapa, pessoas que estão assistindo e afirmou que o debate é fundamental para a cidade, que vai escolher quem será o próximo responsável por chefiar Poder Executivo da Cidade. Engenheiro Civil, vereador por três mandatos, Bluma disse que representa movimento formado por PV e REDE, que vai apresentar alternativa de mudança à política tradicional e fracassada.

Alcides Bernal (PP): Disse que cada candidato apresente suas propostas e que sejam factíveis e não sugestões impraticáveis. "Campo Grande não pode retroceder e voltar a momento em que a população estava a deriva das decisões. Entendo que Campo Grande iniciou a mudança em 2012 a apesar da resistência de grupos político dominantes estamos dispostos com coragem. Parabenizo a iniciativa confiante que o nosso povo sabe o que quer e que não vai deixar se induzir por noticias para atender interesses políticos”.

Coronel David: Cumprimentou o diretor do Jornal Midiamax e seus adversários no pleito, e afirmou que quer ser prefeito da cidade onde nasceu, se formou e onde constituiu família. Segundo ele, a Capital foi palco de conquistas em sua vida. Falou sobre desafios que se apresentam, dizendo ter experiência e. Seu governo dará um novo rumo e crescimento econômico para a cidade.

Marquinhos Trad (PSD): O candidato disse que tem 52 anos de idade, é casado, pai de 4 meninas e que logo vai ser avô. "Posso dizer com respeito a todos os outros candidatos, que estou preparado para ser o melhor prefeito que Campo Grande já teve. Conheço os bairros, a cidade, as soluções viáveis em um momento de instabilidade. Visitamos mais de 600 famílias, de onde tiramos o planos de governo. Desde a retomada dos Ceinfs, pagar piso de 20 horas para os educadores, reorganizar a saúde, mobilidade urbana, erradicação de favelas e acima de tudo, merenda qualidade.

Elizeu Amarilha (PSDC): chamou de gesto democrático o evento realizado pelo Jornal Midiamax. Afirmou que o eleitor precisa se inteirar do momento, e pediu reflexão da população. Frisou que conhece todas as Capitais do país, o que credencia para governar a Capital de Mato Grosso do Sul. Ele também destacou a importância da participação dos jovens no pleito.

Rose Modesto (PSDB): A candidata disse que o que mais lhe motiva a ter aceitado esse desafio é a convicção que é possível fazer mais com o que se tem. “Estamos em um momento de crise em que não vai cair dinheiro do céu. Vamos propor saúde de qualidade, cumprir com o professor, aumentar a perspectiva de quem vive aqui de um futuro melhor. Essa decisão passa pela participação de cada homem, mulher de bem". 

Alex do PT: iniciou sua apresentação cumprimento os presentes e a diretoria do Jornal Midiamax. Projeto político de mudança, comportamento e atitudes. Segundo eles, atualmente grupos se rivalizam na promoção de licitações fraudulentas, com sociedade excluída do processo. Prometeu um novo rumo pra administração pública de Campo Grande. População excluída, da educação, cultura, lazer, e se apresentou como porta voz de uma mensagem nova, de um novo momento, de paz e tranqüilidade e com fé no futuro.

Athayde Nery (PPS): Disse estar para discutir o fim de um modelo ultrapassado. “Tivemos aqui na história do Mato Grosso do Sul um modelo partidário autoritário, só serviu para o chefe tirar da cadeia quem ele queria; oligárquico familiar, detentora do Estado; populista, que promete e não consegue cumprir; hegemonista que comandava todos todo o Estado. Precisamos de um modelo transparente contra a corrupção. Com planos efetivos de curto, médio e longo prazo e com a participação do cidadão”.

Suél Ferranti (PSTU): Saudou os trabalhadores e revelou que trabalha no Ministério da Agricultura há 36 anos, onde já passou por todos os setores da pasta. Segundo ele, o PSTU tem uma proposta classista e revolucionária e pretende resolver as mazelas impostas à classe trabalhadora. Prometeu Campo Grande para trabalhadores e povo pobre, e afirmou que conselhos determinarão onde será usado orçamento da Capital.

Aroldo Figueiró (PTN): disse sentir falta do hino nacional e da bandeira no debate. “Pretendo dirigir Campo Grande com conhecimento. Fiz o plano diretor de 20 municípios com mais 20 mil habitantes. Sou engenheiro e tenho responsabilidade. Aqui todos [os candidatos] são iguais. Não tem 5 segundos para o meu partido e 30 minutos para outro”.

O debate do Jornal Midiamax do 1º turno das eleições municipais de 2016, que acontece nesta sexta-feira (16), reúne 11 candidatos a prefeito de Campo Grande, e é dividido em quatro blocos. O evento é transmitido em tempo real no Facebook, ao vivo no site do Midiamax, na TVE e ainda nas rádios Difusora Pantanal e Educativa FM 104.

Participam deste debate os candidatos que compareceram ou enviaram representantes ao chamamento para realização do evento. São eles, por ordem alfabética, Adalton Garcia (PRTB), Alcides Bernal (PP), Alex do PT, Aroldo Figueiró (PTN), Athayde Nery (PPS),  Coronel David (PSC), Elizeu Amarilha (PSDC), Marcelo Bluma (PV), Marquinhos Trad (PSD), Rose Modesto (PSDB) e  Suél Ferranti (PSTU).  Ficaram de fora por não enviar representantes à reunião, Pedro Pedrossian Filho (PMB), Rosana Santos (PSOL), Flávio Arce (PCO) e Lauro Davi (PROS). 

Jornal Midiamax