Política

Cunha e PSDB definem presidente e relator de comissão do impeachment

PMDB não quer indicar nomes para a Comissão

Evelin Cáceres Publicado em 17/03/2016, às 16h14

None
cunha.jpg

PMDB não quer indicar nomes para a Comissão

Numa reunião que só terminou na madrugada desta quinta-feira (17), o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, reunido com o PSDB, o DEM, e partidos que integram a base do governo fecharam os nomes de seus candidatos para presidir a Comissão do Impeachment, Rogério Rosso (PSD), e para ser o relator, o líder do PTB, Jovair Arantes. O PPS não foi à reunião por integrar a campanha para derrubar Cunha. O DEM continua resistindo a essa decisão, quer um dos seus na relatoria. O PSB também, pois quer o deputado Danilo Fortes como relator.

O PMDB não quer indicar nomes para a Comissão, alegando que o vice Michel Temer seria diretamente beneficiado por um impeachment da presidente Dilma. Temer assumiria o cargo de presidente. Mas o arco de apoio à chapa Rosso-Jovair isola o PT.

O deputado Osmar Serraglio (PMDB) era o candidato da oposição para assumir a relatoria da Comissão do Impeachment. Sua escolha é decorrente de sua atuação na CPI dos Correios (mensalão), quando também foi relator. Para a oposição, ele é independente e sóbrio. Mas há outros nomes na lista em análise, os deputados Rodrigo Maia (DEM) e Danilo Fortes (PSB). O PSDB não quer um nome de oposição na relatoria. Na presidência da Comissão, um dos nomes da oposição é o líder do PSD, Rogério Rosso. Nesse momento, há uma reunião entre os tucanos e o que eles chamam de partidos intermediários. Nesse rol se incluem s que participam do governo: PSD, PP, PR, PRB e a ala de oposição do PMDB.  

Jornal Midiamax