Política

Com filha de 7 anos, mulher de Giroto alega ser advogada e cumpre prisão em casa

Demais mães presas devem seguir pedido

Ludyney Moura Publicado em 11/05/2016, às 12h45

None
familiagiroto.jpg

Demais mães presas devem seguir pedido

A presidente do PR Mulher, Rachel Giroto, obteve na Justiça autorização para cumprir a prisão temporária em casa, em prisão domiciliar. Ela já deixou o Presídio Militar onde estava desde que foi detida pela Polícia Federal ontem, terça-feira (10).

“Ela é advogada e mãe”, contou o advogado de Rachel e de seu marido, o ex-deputado federal e ex-secretário de obras, Edson Giroto, Valeriano Fontoura.

A defesa de Rachel argumentou que além da necessidade de uma cela especial, em função de sua formação superior e profissão (Advogado tem o direito de ser recolhido em sala de Estado Maior da Polícia Militar. Na falta de local adequado, a prisão deve ser cumprida em regime domiciliar), ela também é mãe de uma menina de 7 anos, que precisa dos cuidados maternos mais próximos.

A Justiça acatou os argumentos e liberou Rachel na madrugada desta quarta-feira (11). Fontoura revelou que os demais advogados que defendem as demais presas que também são mães de filhos pequenos deverão pedir prisão domiciliar para as clientes.

O advogado revelou ainda que apenas no meio da tarde de ontem teve acesso a parte do inquérito que culminou na prisão do casal Giroto. Ele ainda espera acesso integral ao procedimento, para saber qual medida dotar na defesa dos clientes.

Edson Giroto continua detido no 3º distrito policial da Capital. 

Jornal Midiamax