Política

Com 36 mil de orçamento, campanha de Suél terá santinho da eleição passada

Chapa terá somente um candidato a vereador

Jessica Benitez Publicado em 10/08/2016, às 20h16

None
09c33b94-d336-467b-b10d-0778de805467.jpg

Chapa terá somente um candidato a vereador

O servidor público federal Suél Ferrante (PSTU) registrou na tarde desta quarta-feira (10) candidatura à Prefeitura de Campo Grande no Fórum Eleitoral. Para bancar a campanha ele tem R$ 36 mil em caixa, dinheiro arrecadado pela militância, e para economizar vai usar 'santinhos' que sobraram do pleito de 2012, quando também disputou o cargo. Está é a 4ª vez que ele tenta se eleger.

O auxiliar administrativo do Ministério da Agricultura ganha pouco mais de R$ 4 mil e está licenciado, por isso não recebe o vale-transporte e vale-refeição. “Isso dificulta muito”, disse. Na declaração de bens as posses somam cerca de R$ 156 mil, sendo que até a bicicleta está entre os itens listados. Os santinhos que ficaram guardados por 4 anos e agora serão utilizados trazem o slogan “Contra burguês, olha nós aqui outra vez”.

A chapa conta com a desempregada Adryelle de Paula, 28 anos, como vice. Mãe de cinco filhos a jovem promete propostas voltadas às mulheres que têm filhos e, assim como ela, enfrentam dificuldade para encontrar emprego devido à carência de vagas nos Ceinfs (Centros de Educação Infantil).

Somente um nome foi registrado na chapa proporcional. O porteiro Valdemir do PSTU vai tentar uma vaga na Câmara Municipal. Vivendo com um salário mínimo, R$ 880, o partido lhe garantiu R$ 16 mil para financiar a campanha. A chapa vai investir em material publicitário como o 'santão', já produzido mensalmente pela legenda. Trata-se de uma folha 3×4 usada frente e verso com propostas e informações partidárias.

Mesmo considerado veterano nas urnas, Suél não acredita que vá vencer a eleição, mas pontua que se desistir da disputa a militância, já minguada, perde a força. Inicialmente havia conversa para coligar com o PSOL, mas a sigla preferiu encabeçar a própria chapa.

O presidente municipal, Ederlon Correia, segue o mesmo pensamento. “Não temos perspectivas de ganhar, levando em consideração a verba para a campanha e o tempo de televisão, mas lançar candidatura é importante para manter um trabalho contínuo”, finalizou.

Jornal Midiamax