Política

Clima tenso e de acusações entre Rose e Marquinhos marcam início de confronto

Pergunta de transparência esquentou o clima

Ludyney Moura Publicado em 22/10/2016, às 00h53

None
1f5d00af-892d-44c0-861e-733af3062dbf.jpg

Pergunta de transparência esquentou o clima

O primeiro tema do debate do 2º turno do Jornal Midiamax entre os candidatos a Prefeito de Campo Grande, o deputado estadual Marquinhos Trad (PSD) e a vice-governadora Rose Modesto (PSDB), foi transparência, que suscitou críticas entre os políticos.

Marquinhos, o primeiro a perguntar, questionou Rose sobre um investigação do CGU (Controladoria-Geral da União), na qual o governo estadual não teria aplicado R$ 3 milhões de recursos federais no combate à dengue, recursos que não consta no Portal de Transparência do Governo do Estado.

Rose afirmou que o governo de Reinaldo Azambuja (PSDB) gastou não só os R$ 3 milhões, mas um total de quase R$ 20 milhões em prevenção e combate à dengue. A tucana também destacou o repasse estadual de R$ 300 para os agentes de saúde que atuam no combate à dengue. Ela também disse que parte das verbas em publicidade do Estado foram revertidas para ações de saúde, de violência contra mulher e acidentes de trânsito.

Em sua réplica Marquinhos disse que ‘é difícil responder, explicar o inexplicável é difícil’. Ele destacou que nem Rose, tampouco o primeiro escalão do governo estadual não souberam informar o destino dos R$ 3 milhões de recurso federal, que poderiam ter evitado as 17 mortes de campo-grandenses por causa da dengue.

Na tréplica, Rose disse que a maior epidemia de dengue da Capital aconteceu na gestão de Nelsinho Trad, irmão de Marquinhos. E voltou a frisar que a personalidade do adversário ‘se transformou’ na eleição. 

Jornal Midiamax